nsc
    dc

    Suinocultura

    ACCS comemora bom momento mas emite alerta sobre biossegurança 

    Entidade recomenda proibição de visitas e cancelamento de eventos

    06/06/2019 - 17h36

    Compartilhe

    Darci
    Por Darci Debona
    ACCS quer evitar entrada de peste suína no estado
    ACCS recomenda proibição de visitas nas granjas
    (Foto: )

    O preço do suíno teve um novo aumento nesta quinta-feira, de R$ 3,50 para R$ 3,60 por quilo vivo, anunciado pela Aurora Alimentos, o que gerou comemoração no setor, pois as demais agroindústrias também devem aumentar seus preços. O presidente da Associação Catarinense dos Criadores de Suínos (ACCS), Losivânio de Lorenzi, disse que o setor vive um bom momento depois de três anos de crise, com aumento das exportações, dólar alto e custos baixos.

    No entanto ele alerta para a necessidade de ter cuidado com a sanidade do rebanho catarinense e solicitou o cancelamento do International Pig Veterinary Society (IPVS), previsto para 2 a 5 de junho de 2020, em Florianópolis, que prevê três mil participantes, de 150 países.

    - Pelo seu status sanitário diferenciado Santa Catarina responde por 52% das exportações brasileiras de suínos, pois isso peço às lideranças que não deixem acontecer o IPVS, pois é um risco receber pessoas que viajam para a Ásia e vem para cá. Temos que cuidar da sanidade – disse Losivânio.

    Nesta quinta-feira a entidade também emitiu uma alerta aos produtores, inclusive colocando um banner no site da entidade, recomendando a proibição da entrada nas propriedades de quem não atua nas criações, para evitar contaminação.

    A presidente da Companhia Integrada para o Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Luciane Surdi, disse que a entidade está cobrando medidas do Ministério da Agricultura, que já proibiu entrada de produtos crus ou artesanais de origem animal, tem recomendado cuidado maior nas barreiras sanitárias do Estado e disse que as agroindústrias também estão tomando suas medidas de precaução.

    Ela entende que neste momento não deve ser agendada nenhuma missão de países com áreas de risco.

    Disse ainda que foi criada uma comissão de biossegurança para discutir medidas que podem ser tomadas para realização do IPVS, como tapetes de desinfecção em aeroportos ou hotéis e orientação sobre roupas e calçados limpos, além de não trazerem nenhum produto que apresente risco.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Economia

    Colunistas