nsc
an

Segurança

Adolescentes de 13 e 15 anos são suspeitos de tentar matar família em Itapoá

A mãe, o padrasto e o irmão da garota ficaram feridos e foram encaminhados para o Hospital São José

31/10/2020 - 15h05 - Atualizada em: 31/10/2020 - 15h40

Compartilhe

Cláudia
Por Cláudia Morriesen
foto mostra giroflex de carro de polícia
Polícia Civil investiga o caso após os adolescentes serem apreendidos pela PM
(Foto: )

Um casal de adolescentes são suspeitos de tentarem matar a mãe, o padrasto e o irmão da garota, em Itapoá, no Litoral Norte de Santa Catarina. Ela tem 13 anos e o namorado, 15 anos. O crime ocorreu na noite de sexta-feira (30), por volta das 23 horas. Os bombeiros foram chamados para atender as três vítimas, que foram esfaqueadas. Os adolescentes haviam fugido do local.

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui e entre no grupo do A Notícia

Acionados pelos bombeiros, policiais militares foram até a casa e conseguiram conversar com a mãe da garota, uma mulher de 38 anos. Ela contou que os autores da tentativa de homicídio foram os adolescentes, e a Polícia Militar começou buscas em seguida pela região.

> Grupo criminoso que expulsa famílias de apartamentos em Joinville é investigado

Por volta das 4 horas de sábado, moradores ligaram para a PM para informar que um casal de adolescentes estava pedindo comida e remédios nas casas. Os dois foram encontrados e encaminhados à Delegacia de Polícia Civil.

A mãe do garoto, que é morador de uma cidade no Paraná, veio a Itapoá para prestar depoimento junto ao filho. A mãe contou que as famílias são amigas e concordam com o namoro, tanto que ela havia trazido o filho para passar alguns dias na casa da menina. O adolescente optou por permanecer calado.

A menina foi acompanhada pelo Conselho Tutelar durante seu depoimento. Ela também optou por não falar nada sobre o caso. As informações são da delegada Milena de Fátima Rosa, que está investigando o caso e já encaminhou o procedimento ao Ministério Público, com pedido de internação provisória. 

Os adolescentes podem ser representados por ato infracional equiparado a tripla tentativa de homicídio. Enquanto isso, aguardam definição do MP nas celas da Delegacia de Polícia.

O quadro mais grave entre as vítimas é o de um jovem de 18 anos, o irmão da menina. Ele foi ferido no pescoço e no tórax, além de apresentar fraturas no ombro, e precisou passar por cirurgia. O padrasto, um homem de 30 anos, foi ferido no cotovelo esquerdo, no tórax e no abdômen. A mãe da menina não sofreu ferimento graves, mas tinha múltiplos cortes pelo corpo. A casa ainda aguarda por perícia mas, segundo a delegada, duas facas de uso doméstico foram encontradas no local.

Colunistas