nsc
santa

Violência doméstica

Agressões do companheiro eram frequentes, diz mãe de jovem assassinada em Dona Emma

Jaqueline Zimmermann tinha acabado o relacionamento após episódios de violência do companheiro, que disparou um tiro contra a cabeça dela 

16/02/2019 - 11h08 - Atualizada em: 16/02/2019 - 14h29

Compartilhe

Talita
Por Talita Catie
(Foto: )

Alegre, trabalhadora, comprometida com o trabalho. Assim era descrita, por familiares e colegas, Jaqueline Zimmermann Rohde, de 23 anos. A jovem levou um tiro na cabeça na última segunda-feira e morreu no Hospital Regional do Alto Vale na noite desta sexta-feira (15). O crime foi na cidade de Dona Emma e o responsável seria o ex-companheiro da jovem, Dielson Francisco Alves, de 27 anos.

Inconformada com a tragédia, a mãe da jovem diz ainda não acreditar no que ocorreu. Lenir Zimmermann conta que o casal estava junto há oito anos e que os episódios de violência contra Jaqueline eram frequentes. Recentemente, a vítima decidiu por fim ao relacionamento, mas Dielson não aceitava.

— Ele saiu de casa uns dias e no sábado voltou, espancou minha filha. No domingo ficou mandando mensagens e chantageando. Na segunda-feira fez uma emboscada e aconteceu isso — afirma Lenir.

A mãe conta que pressentiu que algo ia acontecer, mas a filha não acreditava que o ex-companheiro seria capaz de matá-la. Jaqueline foi baleada por volta das 17h30min da segunda-feira, dentro da casa onde os dois viveram juntos.

Ela tinha acabado de voltar do trabalho quando Dielson entrou na casa e fez o disparo. Na sequência ele tirou a própria vida.

— Ela queria ter as coisinhas dela, filhos. Agora foi tudo interrompido — lamenta a mãe de Jaqueline.

Na confecção onde trabalhava, também em Dona Emma, era conhecida pelo comprometimento. O proprietário da empresa, Oscar Tavares, diz que ela era uma das melhores funcionárias.

— Todos estão muito abalados — conta o empresário.

Na confecção atuam cerca de 180 pessoas e todos conheciam Jaqueline. Tavares diz que sabiam de um episódio de separação dela, mas que o casal teria reatado. Sobre os episódios de violência doméstica a empresa não teria conhecimento.

Jaqueline Zimmermann Rohde foi enterrada neste sábado às 15h.

Colunistas