publicidade

Cotidiano
Navegue por

Histórias para o Dia dos Namorados

Ainda dá para se apaixonar pelo olhar: Os jovens Adilson e Kimberly vivem uma história à moda antiga 

Mesmo novos de idade, o casal de Florianópolis optou começar uma vida juntos após se conhecer no trabalho

12/06/2019 - 14h50 - Atualizada em: 12/06/2019 - 16h58

Compartilhe

Caroline
Por Caroline Stinghen
Adilson e Kimberly, com o pequeno Lorenzo
Adilson e Kimberly, com o pequeno Lorenzo
(Foto: )

Adilson Luiz da Silva, 22 anos, e a Kimberly Alves, 20, são a prova de que, mesmo jovens e vivendo em um momento em que o amor tem começado virtualmente, ainda dá para se apaixonar perdidamente só com o olhar. Ao menos, eles garantem que foi assim. Adilson trabalhava na unidade de uma rede de fast food em Florianópolis quando se apaixonou por uma Kimberly, que aos 16 anos apareceu no local para entregar currículo. Ela procurava o primeiro emprego, ele estava há dois no local.

— Eu comecei a trabalhar no dia 24 de dezembro. Trabalhávamos em horários diferentes, mas começamos a conversar. Em janeiro, rolou o primeiro beijo e logo em seguida já estávamos namorando. Foi tudo rápido, porque a gente sentia que era para ser — relata Kimberly.

Adilson logo se apresentou à família de Kimberly, para fazer “tudo nos conformes”. E tudo foi aceito tranquilamente. Quando ela fez 18, foram morar juntos. Se parecia ser rápido ou muito cedo? Não para eles. A vontade e a certeza de que daria certo era muito maior. Um ano depois, ela engravidou. Hoje, Lorenzo tem 10 meses.

— Não foi planejado. Foi um susto, na verdade. Mas tinha que dar certo, né? E nós trabalhamos para isso. Eu deixei o trabalho para ficar mais perto do nosso filho, e ele continuou como gerente lá. Agora eu comecei a fazer uma faculdade e assim que eu terminar, ele vai fazer. Temos que ir devagarinho, passo a passo, para dar certo — avalia Kimberly.

Eles ainda não casaram oficialmente, mas o desejo existe.

— Quem sabe ano que vem ou depois. A gente primeiro quer terminar de construir nossa casa. Depois a gente vai pensar num casamento, numa festa, numa cerimônia religiosa. Sem pressa. Importante é que estamos conseguindo planejar tudo junto — finaliza Adilson.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação