nsc

    Pandemia

    Ainda não é hora de relaxar isolamento social em SC, diz professor da UFSC

    Lauro Mattei analisou dados do Imperial College usados pelo governo para flexibilizar quarentena

    23/05/2020 - 10h06 - Atualizada em: 23/05/2020 - 13h12

    Compartilhe

    Por Juliana Gomes
    Isolamento social deve ser flexibilizado com critérios, para professor da UFSC
    Isolamento social deve ser flexibilizado com critérios, para professor da UFSC
    (Foto: )

    As medidas restritivas de combate ao coronavírus devem ser adotadas de acordo com a evolução da doença em cada microrregião de Santa Catarina, na avaliação do professor de ciências econômicas da UFSC Lauro Mattei durante entrevista ao Notícia na Manhã deste sábado (23). Para ele, o estado ainda não está pronto para relaxar as medidas de isolamento social.

    A afirmação parte da análise dos dados do Imperial College, que embasam as decisões do governo do estado para flexibilizar as restrições durante a quarentena. Conforme Mattei, a análise demonstra que o contágio em Santa Catarina não está controlado e pode se acelerar.

    - Esse estudo do Imperial College, publicado em 8 de maio, considera a situação de 16 estados do Brasil até o dia 5, com número de infectados, mortos registrados pelo Ministério da Saúde. Foram considerados apenas locais com 50 ou mais óbitos – contextualizou.

    > Saiba tudo sobre o coronavírus em site especial

    Entre os aspectos levados em conta no estudo estão a dinâmica populacional, mobilidade e a forma como o vírus é retransmitido. Atualmente, cada infectado pode transmitir para até três pessoas.

    - Os dados de ontem (divulgados pelo governo catarinense) vão mostrar que há espraiamento nas grandes e médias cidades, como Chapecó, Concórdia, Blumenau e Brusque. Se não houver o controle adequado, pode chegar às pequenas – avaliou.

    Ouça a entrevista:

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas