O eclipse solar total que transformou “o dia em noite” nesta segunda-feira (8) gerou interesse e curiosidade pelos próximos fenômenos astronômicos que poderão ser observados, especialmente em terras brasileiras. É o caso do “Cometa do Diabo”, que poderá ser visível a olho nu nas próximas semanas, com o auge no dia 21 de abril. As informações são de O Globo.

Continua depois da publicidade

Entre na comunidade exclusiva de colunistas do NSC Total

O nome oficial do cometa é 12p/Pons-Brooks, e esta será a primeira vez em 71 anos que será possível observá-lo sem o uso de telescópio. Atualmente, a observação do corpo celeste é mais fácil no Hemisfério Norte, mas conforme ele se aproxima do Sol, a visibilidade aumenta também no Hemisfério Sul.

A data em que a órbita estará mais próxima da estrela, chamado de periélio, acontecerá no dia 21 de abril. A partir daí, o cometa ficará mais visível no Hemisfério Sul. No momento, é possível vê-lo com o auxílio de pequenos telescópios.

— O cometa se move da constelação de Andrômeda para Peixes. Ao fazê-lo, passa por estrelas brilhantes que facilitarão a sua localização em determinadas datas. Em particular, em 31 de março, 12P/Pons-Brooks estará a apenas 0,5 grau da estrela brilhante chamada Hamal — explica Paul Strøm, astrofísico da Universidade de Warwick, ao jornal britânico The Guardian.

Continua depois da publicidade

Três vezes maior que o Monte Everest, o astro tem cerca de 29 quilômetros de diâmetro e se assemelha a um “vulcão frio”, por ejetar gelo e gás que formam uma cauda em formato de chifres, o que dá o apelido de “Cometa do Diabo”.

Em junho, a rocha espacial estará mais próxima da Terra, em uma distância de cerca de 232 milhões de quilômetros, momento em que será possível ver o astro com a ajuda de binóculos.

Explosões possibilitam visibilidade de cometa

O pesquisador Theodore Kareta explica à ABC News que a possibilidade de ver o cometa a olho nu se dá por conta das explosões, que o torna mais claro.

— Não há muitos cometas que tenham esses aumentos repentinos de brilho, que sejam tão fortes, e menos ainda que os tenham algumas vezes durante uma órbita. Parece que Pons-Brooks está realmente ativo — comenta.

Continua depois da publicidade

O astrônomo amador e professor aposentado da Universidade do Arizona, Eliot Herman acompanha as explosões do cometa, que fazem com que ele ganhe maior visibilidade.

— Esse cometa foi amplamente divulgado nas notícias devido a duas explosões anteriores, que produziram a aparência de um “demônio com chifres”. No Halloween, o diabo irrompeu novamente com uma grande explosão que continuou no dia seguinte — disse Herman.

O 12P/Pons-Brooks se desloca em direção ao Sol, já que é atraído pelo astro, e pode a cerca chegar a 160 mil km/h. Depois de alcançar 232 milhões de km/h, em meados de junho, que o astro se aproximará com a Terra. Depois disso, ele retorna ao sistema solar e não deve retornar até 2095.

Conheça características dos cometas

Confira fotos do eclipse solar total desta segunda (8)

Continua depois da publicidade

Leia também

Eclipse solar: veja como foi o fenômeno que transformou dia em noite

Dia Mundial da Astronomia: Três planetários para observar as estrelas do céu de SC

Destaques do NSC Total