publicidade

Política
Navegue por

RESPOSTA DO MINISTRO 

Após site divulgar novas mensagens, Moro diz que não reconhece autenticidade de conversas 

Nota foi divulgada neste sábado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, após novos trechos de diálogos terem sido divulgados pelo site The Intercept Brasil  

15/06/2019 - 16h52

Compartilhe

Por GaúchaZH
Por Agência Brasil
Sergio Moro deixou a 13ª Vara Federal de Curitiba para ser ministro da Justiça e da Segurança Pública no governo Bolsonaro
Sergio Moro deixou a 13ª Vara Federal de Curitiba para ser ministro da Justiça e da Segurança Pública no governo Bolsonaro
(Foto: )

Após a divulgação de novos diálogos pelo site The Intercept Brasil, o Ministério da Justiça e Segurança Pública divulgou nota à imprensa, neste sábado (15), na qual afirma que o ministro Sergio Moro "não reconhece a autenticidade e não comentará supostas mensagens de autoridades públicas colhidas por meio de invasão criminosa de hackers e que podem ter sido adulteradas e editadas".

A nota do ministério reitera "a necessidade de que o suposto material, obtido de maneira criminosa, seja apresentado a autoridade independente para que sua integridade seja certificada".

O site The Intercept Brasil publicou na noite de sexta-feira (14) novo trecho de chat privado na plataforma Telegram, em 10 de maio de 2017, quando o então juiz Sergio Moro teria sugerido ao então procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima distribuir nota à imprensa para rebater afirmações da defesa de Luiz Inácio Lula da Silva, após o depoimento do ex-presidente da República no caso do triplex do Guarujá.

"Talvez vcs devessem amanhã editar uma nota esclarecendo as contradições do depoimento com o resto das provas ou com o depoimento anterior dele. Por que a Defesa já fez o showzinho dela", teria dito Moro.

"Podemos fazer. Vou conversar com o pessoal. Não estarei aqui amanhã. Mas o mais importante foi frustrar a ideia de que ele conseguiria transformar tudo em uma perseguição sua", teria respondido Santos Lima.

Leia a nota na íntegra

"O Ministro da Justiça e Segurança Pública não reconhece a autenticidade e não comentará supostas mensagens de autoridades públicas colhidas por meio de invasão criminosa de hackers e que podem ter sido adulteradas e editadas. Reitera-se a necessidade de que o suposto material, obtido de maneira criminosa, seja apresentado a autoridade independente para que sua integridade seja certificada."

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação