Uma suspeita de situação análoga a escravidão terminou com um homem detido na tarde deste sábado (3) em Urubici, na Serra catarinense. As vítimas seriam quatro argentinos que, além de receberem um salário menor que o combinado, dormiam em um alojamento sujo e em colchões jogados no chão, segundo a Polícia Militar. A Polícia Federal irá instaurar um inquérito para apurar o caso.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

O caso ocorreu por volta das 14h15min, próximo a SC-370, no interior do município. De acordo com a polícia, as vítimas teriam denunciado a situação após fugir do local. Durante o depoimento, eles relataram que outras pessoas ainda estavam no estabelecimento, pois ficaram com receio da fuga.

Casal morre carbonizado em acidente que deixou três mortos na BR-282 em SC

Em seguida, a equipe foi até o local e encontrou o responsável por contratar o grupo. Em depoimento, ele disse que teria pago aos empregados o total de R$ 4.920. No entanto, após os descontos, cada argentino teria recebido R$ 100.

Continua depois da publicidade

As vítimas relataram à polícia que a promessa é de que receberiam R$ 300, limpo, por dia de trabalho. Ainda de acordo com a polícia, no alojamento onde os argentinos pernoitavam foi encontrada uma “situação degradante”, já que o lugar estava sujo e com colchões jogados ao chão para que os trabalhadores dormissem.

O ramo em que os argentinos trabalhavam não foi divulgado. Um homem, de 49 anos, foi detido e encaminhado à Delegacia da Polícia Federal em Lages. Segundo o órgão, após prestar depoimento, ele foi liberado.

Já os argentinos foram levados a um hostel em Urubici. Nesta segunda-feira (5), uma equipe da Assistência Social irá fazer os encaminhamentos necessários.

De acordo com a Polícia Federal, um inquérito será instaurado para apurar as investigações. Isto porque os depoimentos dos argentinos teriam sido contraditórios.

Continua depois da publicidade

Errata: a matéria mencionava que o homem foi preso em flagrante pela Polícia Militar durante a ocorrência. No entanto, a Polícia Federal alega que não houve prisão. A matéria foi corrigida em 5 de fevereiro às 9h41min.

Leia também

VÍDEO: Como caixeiros usaram chave-mestra para furtar R$ 500 mil em bancos de Joinville

“Benzedor” de pequena cidade de SC é preso por abusar de crianças durante atendimentos

Destaques do NSC Total