O Carnaval, uma das festas mais emblemáticas e animadas do Brasil, não seria o mesmo sem suas marchinhas que embalam foliões de gerações passadas e presentes. Essas canções atemporais têm o poder de unir pessoas de todas as idades em uma celebração única. Continue a leitura para relembrar as 10 melhores marchinhas de Carnaval.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do Hora no Google Notícias

Confira as melhores marchinhas de Carnaval

“Mamãe Eu Quero” (1937)

Um clássico que marcou o início da era das marchinhas de Carnaval. Com sua letra cativante e ritmo contagiante, “Mamãe Eu Quero” tornou-se um hino carnavalesco que atravessou décadas, continuando a encantar foliões.

“Aurora” (1940)

Composta por Mário Lago e Roberto Roberti, “Aurora” é uma marchinha romântica que conquistou corações durante os anos dourados do Carnaval. Sua melodia suave e poesia encantadora ainda são lembradas como um dos pontos altos da festa.

Continua depois da publicidade

“Allah-la-ô” (1941)

Imortalizada na voz de Carmen Miranda, “Allah-la-ô” é uma marchinha que celebra a diversidade cultural do Brasil. Com referências às tradições afro-brasileiras, a canção representa a riqueza da miscigenação presente na festa carnavalesca.

“A Jardineira” (1939)

Essa marchinha, composta por Humberto Porto e Benedito Lacerda, tornou-se um sucesso instantâneo no Carnaval do Brasil. Com seu ritmo animado e refrão envolvente, “A Jardineira” é uma escolha certa para quem quer cair na folia.

“Cabeleira do Zezé” (1963)

Com sua letra irreverente e divertida, “Cabeleira do Zezé” é uma marchinha que conquistou o público com seu humor peculiar. O personagem Zezé tornou-se uma figura icônica do Carnaval, garantindo risadas e descontração.

“Me Dá um Dinheiro Aí” (1959)

Composta por Ivan Ferreira, Homero Ferreira, Glauco Ferreira, e Sílvio Ferreira, essa marchinha satiriza os pedidos insistentes de dinheiro durante a festa. Com seu tom humorístico, a canção é uma crítica divertida aos foliões que aproveitam a generosidade alheia.

Continua depois da publicidade

“Cidade Maravilhosa” (1935)

Escrita por André Filho, essa marchinha é um verdadeiro hino ao Rio de Janeiro. Com sua letra exaltando as belezas da cidade, “Cidade Maravilhosa” transcendeu as fronteiras do Carnaval, tornando-se um símbolo carioca.

“Chiquita Bacana” (1949)

Na voz marcante de Emilinha Borba, “Chiquita Bacana” é uma marchinha que conta a história de uma mulher moderna e independente. Sua letra irreverente e ritmo animado a transformaram em um clássico do Carnaval brasileiro.

“A Pipa do Vovô” (1971)

A marchinha de Carnaval divertida e cômica composta por Wilson Batista e Zé da Zilda possui uma melodia contagiante e letra descontraída. A canção celebra a simplicidade e a alegria de uma tradição popular, conectando gerações através da diversão despretensiosa.

“Turma do Funil” (1954)

Composta por Braguinha e Alberto Ribeiro, esta marchinha animada fala sobre a alegria da Turma do Funil, trazendo um clima festivo e descontraído para o Carnaval.

Continua depois da publicidade

Leia mais

Os 10 sambas-enredo que marcaram época no Carnaval do Brasil

Afinal, quarta-feira de cinzas é feriado?

Destaques do NSC Total