nsc
santa

Solideriedade

Atleta de handebol de Blumenau sofre grave lesão e mobiliza busca por dinheiro para cirurgia

27/08/2021 - 03h59 - Atualizada em: 27/08/2021 - 06h05

Compartilhe

Por João Victor Góes
Kaylane de Bastiani já conquistou títulos por Blumenau
Kaylane de Bastiani já conquistou títulos por Blumenau
(Foto: )

A jogadora da equipe de handebol feminino de Blumenau, Kaylane de Bastiani de 18 anos, está mobilizando a comunidade esportiva da região para conseguir custear uma cirurgia que pode curar uma lesão que a impede de praticar a modalidade que ama.

> Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp

Kay, como é conhecida, sofreu uma ruptura no quadril esquerdo durante uma sessão de treinamento. 

— Foi em um movimento de explosão, onde eu fintei, troquei a direção e senti. A partir daí ela se agravou — relembra.

A cirurgia pela qual Kaylane deve ser submetida é complexa e custa aproximadamente R$ 32 mil. O procedimento consiste na raspagem de um osso que encosta no acetábulo, região do quadril, e causa a sensação de dor.

— A lesão me prejudica muito para correr, treinar e fazer academia, até para andar ela incomoda. Às vezes eu estou sentada ou deitada de mal jeito e dói bastante, então em quase tudo do meu dia a dia ela atrapalha — conta.

Inspiração em Duda Amorim

Kaylane conta que o interesse pelo handebol começou ainda quando criança, aos 10 anos. Tempo depois, ao mudar de escola, ela começou a treinar em um dos polos de iniciação da modalidade. 

Não demorou para ela ser convidada a treinar com a equipe Infantil que representa Blumenau.

A principal inspiração de Kaylane é a conterrânea Duda Amorim, que já foi eleita a melhor jogadora do mundo na modalidade e estava na seleção que representou o Brasil nas Olimpíadas de Tóquio 2020.

— É uma ótima atleta, inspiração para muitas meninas aqui do meu time, muito dedicada e eu me inspiro muito nela — conta a jovem jogadora.

Assim como Duda Amorim, a jovem Kay espera chegar à Seleção Brasileira no futuro. Sonho que pode ser interrompido caso a lesão não seja tratada.

Vaquinha

A ideia de criar a vaquinha para custear a cirurgia de Kaylane surgiu do próprio time da atleta. 

— Como o clube não tem condição de custear toda cirurgia e os procedimentos, as meninas tiveram a ideia de fazer a vaquinha e mobilizar o pessoal do esporte para tentar arrecadar o dinheiro e curar essa lesão.

A ajuda pode ser feita através do link da campanha na internet, ou de transferência bancária.

Colunistas