nsc
    an

    Celesc

    Ato de vandalismo deixa mais de 60 mil casas sem energia elétrica no Litoral Norte de SC

    Situação ocorreu em Balneário Piçarras e afetou outras três cidades 

    30/12/2019 - 11h50 - Atualizada em: 30/12/2019 - 12h33

    Compartilhe

    Cláudia
    Por Cláudia Morriesen
    foto mostra janela onde local foi invadido
    Subestação foi invadida e vandalizada em Piçarras
    (Foto: )

    Mais de 60 mil imóveis nas cidades de Balneário Piçarras, Barra Velha, Penha e São João do Itaperiú ficaram sem energia elétrica na noite de domingo, 29, depois que uma ocorrência na subestação em Piçarras interrompeu o fornecimento de energia. O fato ocorreu por volta das 19h25. Segundo a Celesc, o que motivou a falta de energia elétrica foi um ato de vandalismo. O local foi invadido e teve parte dos equipamentos quebrados.

    A Celesc soube da ocorrência por volta das 21h30, quando uma equipe foi deslocada, com urgência, ao local. Naquele momento, cerca de 65 mil unidades estavam sem luz, nas cidades de Barra Velha, Balneário Piçarras, Penha e São João do Itaperiú. Cerca de 25 funcionários atravessaram a noite recuperando sala de comando, transformadores e parte da estrutura danificada.

    Segundo o gerente do Núcleo Leste-Itajaí, Pedro Paulo Molleri, às 23 horas foi possível recuperar um dos transformadores — a subestação tem dois — o que permitiu restabelecer a energia em 44 mil unidades.

    — Tivemos, então, que levar um novo trafo móvel, para substituir o outro, que não pôde ser recuperado, uma vez que o transformador queimou devido à ação criminosa. Este trafo móvel chegou de madrugada, de Florianópolis. Até o final do dia a transferência geral de carga deve estar totalmente concluída — informou Molleri.

    De acordo com a Celesc, a subestação era monitorada por alarme, mas não tinha equipe de vigilância. Uma equipe de segurança era enviada ao local quando o monitoramento remoto era acionado. Agora, além do sistema de alarme e das câmeras de vigilância, a Celesc contratou, em caráter emergencial, um vigilante que passará a resguardar a subestação. A Polícia Civil de Piçarras irá investigar a invasão.

    Ao longo do dia, em função da transferência de carga, é possível que haja instabilidade no fornecimento e, em último caso, interrupção rápida para colocar o novo transformador móvel em pleno funcionamento.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas