nsc

publicidade

Coletiva

Avaí planeja 2020 na Série B, Marquinhos avalia ano e diz: "Chance nenhuma de ficar na Série A"

Gerente de futebol detalha a próxima temporada do Leão

14/11/2019 - 20h05

Compartilhe

João Lucas
Por João Lucas Cardoso
Avaí adianta plano para 2020; gerente Marquinhos fala sobre temporada 2020
Avaí adianta plano para 2020; gerente Marquinhos fala sobre temporada 2020
(Foto: )

O Avaí tem chance muito pequenas de permanência na Série A, pode ser rebaixado no Brasileirão neste fim de semana, quando faltarão cinco rodadas para o fim. O Leão da Ilha já admite que a próxima temporada será na Série B 2020. Nesta quinta-feira, o gerente de futebol Marquinhos Santos concedeu entrevista coletiva para dizer que o planejamento para o ano que vem já está em andamento.

- Eu não viria iludir o torcedor. Eu tinha falado que houve erros no início e no meio. E agora estamos fazendo o planejamento. Nem posso dizer que temos esperança. Não temos chance nenhuma de ficar na Série A. O torcedor cobra o resultado, mas com os pés no chão daremos a volta por cima. Não é a primeira vez que caímos, mas sempre voltamos mais fortes. Esse é o ano que caímos mais tranquilos, com a situação estável, e cientes de que é possível fazer um elenco com a cara do Avaí. Esse ano, contratamos pensando em fazer um bom time, mas não conseguimos. Temos que manter o foco e pensando na Série B ir no mercado o quanto antes, pois o orçamento vai diminuir - falou o ex-jogador do Leão e atual dirigente.

Diferente do que o técnico Evando disse depois da derrota para o Botafogo na última segunda-feira, o Avaí não tem jogadores com contratos assinados. Segundo Marquinhos, há atletas mapeados e o Leão pretende contratar um novo treinador para 2020. No entanto, até que seja encerrado o Brasileirão, o elenco não muda - salvo pedido de acordo por rescisão de algum jogador ou atleta que vai permanecer no clube e necessite adequar com período de férias.

Confira tópicos da entrevista coletiva.

Avaliação de 2019

A gente já vem trabalhando há dois meses planejando para o ano que vem. A gente tratava por uma situação de Série B, sem enganar ninguém, assumindo os erros que cometemos. Todos têm sua parcela de culpa. Sabemos da chateação do torcedor. Por mais que tenhamos cargo aqui dentro, somos torcedores. Apesar de ter um ano ruim, temos que tirar proveito de algumas coisas, como os jogadores da base que colocamos para jogar. Não foi um ano de se jogar fora. Fomos campeões no início do ano. Os mesmos que criticam, invadiram o campo para festejar (o título do Catarinense). Mas o futebol não dá tempo para lamentar. Há algumas renovações e outros que não iremos continuar. Tivemos uma campanha vexatória, e todos são culpados. Mas tem que haver mudanças grandes, pois foi um grupo perdedor no segundo semestre. Coisa que não fizemos nos últimos anos, estamos mais cedo no mercado. Não podemos deixar para janeiro. Vimos o que aconteceu esse ano. Estamos pagando. Nosso planejamento está antecipado.

Reta final do Brasileirão

A gente estaria abreviando a nossa incompetência (liberar jogadores antecipadamente). Vai todo mundo terminar o ano juntos, abraçados e chorando. Eu já falei com o presidente que vão ficar todos. A não ser que algum queira vir e fazer acordo, que será bom para o clube. Estamos pensando apenas nas férias para depois do jogo contra o Flamengo, pois nosso início de 2020 é com jogo no dia 19 de janeiro (Recopa Catarinense). Temos que começar a temporada focados.

Papel como gerente para 2020

Agora eu pego um trabalho do início e nesse ano peguei no meio, quando estava difícil para contratar. Não tinha como ir atrás de jogador na parada da Copa América por conta da nossa pontuação. Agora eu consigo pegar fazer um planejamento. Não estou dizendo que vamos trazer Messi ou Cristiano Ronaldo. Estamos avaliando jogadores e até por isso não definimos treinador, que tem que se encaixar no perfil do Avaí. O Battistotti deu a caneta para a gente contratar. Estamos começando o ano de 2020 em 2019, quanto antes elaborar um planejamento é um passo à frente, algo que não pude fazer esse ano. Até contatamos alguns, mas muitos não queriam e outros pediam muito acima para não vir. Sofremos esse ano, mas estabilizamos o clube. Nas derrotas a gente se fortalece mais. Nos momentos mais difíceis na minha carreira colhi as mais saborosas vitórias. Temos que fazer um time forte já em janeiro, pensando no Catarinense, e não como foi esse ano que deixamos para depois.

Departamento de futebol

A princípio vamos avaliar sobre um diretor de futebol, que é um patamar acima do gerente de futebol. Diretor mexe com lado financeiro, negociação, algo que eu nem quero fazer agora. Mas gerente estou preparado, o presidente está pensando em trazer, para poder nos ajudar.

Battistotti nas finanças

Falo com o presidente (Francisco Battistotti), tenho abertura, mas não adianta ter um departamento de futebol se ele não for responsável pelas atitudes. Senão era só tirar dinheiro do clube. E eu nunca fiz isso. Se der errado, ele terá que me mandar embora. No lado financeiro a gente leva para ele, mas o lado técnico, tático, emocional, é nós do departamento de futebol que temos que resolver. Ele nos deu autonomia para escolher, mas sempre chancelado pelo presidente, pois é ele quem paga.

Novo técnico

Vimos como está o mercado financeiramente, com treinadores ganhando muito, Temos a ideia de fazer um futebol atrativo, que o torcedor tenha gosto de ir ao estádio. Ele está chateado e magoado, quer ver um time que tenha qualidade e proponha o jogo. E dentro da Ressacada fomos vexatórios. Em outros anos que caímos, a gente disputava mais. Nos últimos dois anos que caímos não foi erro de planejamento. Sabia que ia entrar na competição e nós sempre éramos taxados como um dos rebaixados. Esse ano fomos muito abaixo, dentro de casa não conseguimos trazer o torcedor para dentro de campo. Vamos precisar do torcedor, mas claro que temos que montar um time bom. Ele apoia o time quando vê o trabalho bem feito. Temos que resgatar essa auto-estima do torcedor.

Metas

Ano que vem é ganhar a Recopa (Catarinense, contra o vencedor da Copa SC 2019), o título do Catarinense, passar quatro fases da Copa do Brasil, por conta do caixa, para chegar na Série B e contratar a cereja do bolo, e conquistar o título da Série B. Ano que vem queremos brigar por títulos, principalmente da Série B. Quando se monta time forte, brigamos e subimos para a Série A. É mirar o título, ficar entre os quatro também sobe, mas nosso pensamento tem que ser o título. Mas tem que fazer um time forte, contratar jogadores de qualidade, com mais sangue, mais vibração, com mais a cara do Avaí.

Leia mais notícias e opiniões sobre o Avaí no NSC Total.

Deixe seu comentário:

publicidade