nsc
an

Sonho interrompido

Bailarina volta para casa após acidente em Joinville: ‘Poderia ter sido pior’

Maria Eduarda Meireles, de 15 anos, teve o dedo do pé amputado e precisou passar por cirurgia ortopédica

13/10/2021 - 16h43

Compartilhe

Por Marcelo Henrique
dedo mindinho
Maria Eduarda, de 15 anos, perdeu dedo mindinho após acidente em Joinville
(Foto: )

A bailarina Maria Eduarda Meireles, de 15 anos, que teve o dedo do pé amputado após um acidente de trânsito em Joinville, chegou em casa, nesta terça-feira (12). A jovem que mora em Guará, no Distrito Federal, participaria do Festival de Dança, mas em virtude do imprevisto precisou cancelar sua participação.

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Ela precisou passar por uma cirurgia ortopédica e recebeu alta médica do Hospital São José no último domingo (10), além disso ela sofreu um ferimento na orelha. Maria passou por avaliação do médico neurologista e estava em observação na unidade até receber alta. Segundo o G1, os pais dela vieram de Brasília para acompanhar a recuperação da filha.

A jovem conta que não lembra do momento da batida, apenas de acordar no hospital.

- Já cheguei sem o dedinho, só costuraram. Quando o médico tirou o curativo, levei um susto com o meu pai, que me acompanhava. Fiquei meio triste, chorei, mas depois passou. Aos pouquinhos, estou tentando entender - relata.

A mãe de Maria, Débora Meireles, de 42 anos, lembra que o processo foi traumático, mas está feliz que a filha está em casa. 

- Por ela não ter tido nenhuma complicação maior, já é uma vitória - declara.

Maria dança desde os 4 anos e afirma que esse é o seu sonho. Apesar do acidente, ela revela que vai voltar a fazer aquilo que mais gosta, mas para isso, vai ter que se adaptar a sua nova realidade.

- Os médicos falaram que vou conseguir dançar. Vai ser um novo processo, de descoberta do meu corpo e do meu equilíbrio - comenta.

A adolescente confessa que está ansiosa para voltar a treinar e que está torcendo para o processo de cicatrização terminar logo. Ela precisa ficar 10 dias sem pisar no chão, e também vai passar por acompanhamento de fisioterapeuta.

- Poderia ter sido pior. Tem uma parte do meu corpo que foi tirada, mas eu poderia estar com dor. Isso é o mínimo - disse.

recepção
Maria foi recebida sob aplausos de amigos, familiares e companheiros de dança no Aeroporto Internacional de Brasília na noite desta terça-feira (12)
(Foto: )

Relembre o acidente

Uma grave colisão entre um caminhão e uma van deixou oito pessoas feridas na madrugada desta sexta-feira (8) em Joinville. A van era ocupada por bailarinos de Brasília que iriam se apresentar no evento. A batida aconteceu no viaduto da rua Ottokar Doerffel, no bairro São Marcos.

As vítimas foram encaminhadas para o atendimento pelos socorristas dos bombeiros e Samu. Cinco foram levadas ao Hospital Municipal São José, duas para o Regional e uma ao Hospital Dona Helena. A pessoa com maiores ferimentos foi Maria, que precisou ser internada.

De acordo com informações da assessoria do Instituto Festival de Dança de Joinville, o grupo Corpo de Baile Noara Beltrami alugou a van em Curitiba e estava há cerca de 700 metros da casa onde ficariam hospedados quando o acidente aconteceu.

As informações são do G1 DF.

*Sob supervisão de Hassan Farias

Leia também:

Joinville tem nova redução em internações em UTI por Covid

Festival Meia Ponta começa nesta quarta-feira em Joinville; confira a programação

Carro de luxo tenta atravessar ponte e cai em rio de Garuva

Colunistas