A prefeitura de Balneário Camboriú vai pagar R$ 3,8 milhões por seis meses para uma empresa operar o transporte coletivo municipal na cidade sem cobrar passagem dos usuários. O contrato foi firmado em caráter emergencial e entrou em vigor nesta segunda-feira (12).

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Itajaí e região por WhatsApp

A PGTur prestou o serviço até domingo (11) e decidiu não renovar com a prefeitura sob a justificativa de desequilíbrio econômico no contrato. Para o município não ficar sem ônibus circulando, a Transpiedade assumiu o transporte coletivo urbano pelos próximos 180 dias.

O valor de R$ 3,8 milhões é referente aos seis meses de operação, e deve ser pago com dinheiro próprio da prefeitura. Além das linhas que eram feitas no contrato anterior, outra que corre a Avenida Atlântica e Avenida Brasil, no sentido Barra Sul/Praia dos Amores, e vice-versa, será ofertada aos usuários.

— A empresa contratada emergencialmente vai atuar com 10 ônibus novos e seminovos equipados com acessibilidade total, ar-condicionado, wi-fi gratuito e monitoramento das viagens via circuito interno — garante o prefeito Fabrício Oliveira.

Continua depois da publicidade

As linhas e os horários disponíveis podem ser acessados pela internet.

Durante a vigência do contrato emergencial, será preparada uma licitação para contratação definitiva da empresa concessionária pelo serviço. A prefeitura informou que nesse período será rediscutida a manutenção da gratuidade. Até então o usuário pagava R$ 4,50 de passagem.

Leia mais

Como Balneário Camboriú quer frear o avanço do mar após perder 70 metros de alargamento

Show nacional surpresa em Balneário Camboriú entrega prédio de luxo 100% vendido

Destaques do NSC Total