nsc

publicidade

Novo governo

Bolsonaro promete liberar posse de arma de fogo por decreto

O presidente eleito não deu mais detalhes sobre qual será a diferença desta mudança para a atual legislação, que já permite a posse de armas de fogo

29/12/2018 - 13h52 - Atualizada em: 11/01/2019 - 15h41

Compartilhe

Por Estadão Conteúdo

Maiara Perottoni / Divulgação
Jair Bolsonaro fez afirmação pelas redes sociais
(Foto: )

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou que liberará a posse de arma de fogo por meio de um decreto, assim como tornará o registro da arma definitivo. "Por decreto pretendemos garantir a posse de arma de fogo para o cidadão sem antecedentes criminais, bem como tornar seu registro definitivo", escreveu, no Twitter.

Bolsonaro não deu mais detalhes sobre qual será a diferença desta mudança para a atual legislação, que já permite a posse de armas de fogo. Sobre o registro, há dois anos, o presidente Michel Temer editou um decreto (Nº 8.935) que mudou de três para cinco anos o período de renovação.

Eduardo Bolsonaro, deputado federal e filho do capitão do exército, compartilhou a publicação do pai e disse que "muitas outras novidades estão por vir ainda". Eduardo aproveitou para criticar o Estatuto do Desarmamento e o ex-presidente Lula.

"Os mensaleiros aprovaram o estatuto do desarmamento em 2003 a mando de Lula. Desde 2005 o povo pediu via referendo mudanças. Só em 2019, a custa de muito sangue inocente - em torno de 50 a 60 mil assassinatos/ano - foi eleito um presidente que vai ouvir os clamores do povo", disse.

Fique por dentro das últimas notícias

Deixe seu comentário:

publicidade