nsc

publicidade

Investigação

Bombeiros encontram indício de incêndio criminoso no Parque do Rio Vermelho, em Florianópolis

Fogo começou a atingir área florestal no Norte da Ilha de SC no sábado (24). Tocha e objeto semelhante a rojão foram encontrados

30/08/2019 - 20h00 - Atualizada em: 30/08/2019 - 21h06

Compartilhe

Por Guilherme Simon
queimada Rio Vermelho
Helicóptero Arcanjo registrou fogo mais uma vez na manhã desta quinta-feira (29)
(Foto: )

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar que atuam no combate aos incêndios no Parque Florestal do Rio Vermelho, em Florianópolis, encontraram indícios de que tenha ocorrido queimada criminosa.

O incêndio começou a atingir a área no sábado (24), com dois focos principais, e teria iniciado em uma floresta de Pinheiros, próximo a um camping. Apesar de terem sido controladas ainda no sábado, as chamas voltaram a ganhar proporção nos mesmos locais por seis dias seguidos, até esta quinta-feira (29).

Segundo o tenente-coronel Diogo Bahia Losso, do 1º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar da Capital, as equipes encontraram um objeto que aparenta ser um rojão e uma tocha na área queimada. O primeiro foi localizado no domingo (25) e o segundo, na quarta (28).

De acordo com Losso, os indícios sinalizam que pode ter ocorrido incêndio intencional. A Polícia Civil foi comunicada.

— Tudo leva a crer que o incêndio teve origem humana: o fato de haver inicialmente três focos distintos, e também porque, embora o clima esteja favorável para a propagação do fogo, nós não temos condições em Santa Catarina para incêndios espontâneos. Agora, resta saber se ele foi acidental ou intencional. Como encontramos indícios, supomos que tenha sido intencional — comentou o tenente-coronel.

A investigação para apurar possíveis responsáveis pela queimada no Parque do Rio Vermelho depende, agora, da abertura de um inquérito policial pela Delegacia de Repressão a Crimes Ambientais da Diretoria Estadual de Investigações Criminais do Estado (Deic).

A delegada titular da unidade, Beatriz Ribas Dias dos Reis, disse à reportagem nesta sexta-feira (30) que ainda não havia sido oficialmente informada sobre o caso.

Fogo consumiu cinco hectares do parque

O tenente-coronel Diogo Bahia Losso disse que a estimativa é de que a queimada tenha consumido uma área de cinco hectares do Parque Florestal do Rio Vermelho, o que equivale a pouco mais de cinco vezes o campo do Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

Segundo o tenente-coronel, o levantamento da área atingida foi feito no começo desta semana, mas ele acredita que a situação não tenha se alterado nos últimos dias.

— Apesar de termos registrado fogo ao logo de toda a semana, o que está queimando são os mesmos locais desde sábado. O que acontece é que as chamas permaneceram na parte do subsolo, mas não se expandiram para outras áreas do parque — explicou.

Chuva prevista pode extinguir fogo

Nesta sexta-feira (30), ao contrário do que aconteceu ao longo de toda a semana, não houve registro de chamas intensas no Parque do Rio Vermelho, no Norte da Ilha de SC. Mesmo assim, as equipes do Corpo de Bombeiros Militar e da Polícia Militar Ambiental seguem atentas à situação neste fim de semana. A expectativa é que, com a previsão de chuva no sábado e no domingo, os focos de incêndio sejam finalmente extintos.

Segundo o meteorologista da NSC Leandro Puchalski, uma frente fria chegará ao Estado já no sábado, com possibilidade de chuva primeiro nas cidades próximas ao Rio Grande do Sul, atingindo o restante de Santa Catarina no fim do dia. No domingo, a chuva pode ser forte, indica o meteorologista.

— Estamos em contato direto com a PM Ambiental, com o IMA (Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina) e com a Defesa Civil, e se houver necessidade estaremos prontos para voltar a atuar na área. Esperamos que a previsão de chuva significativa possa combater o incêndio — comentou o tenente-coronel Diogo Bahia Losso.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

publicidade