nsc

publicidade

Abastecimento

Brusque tem milhares de moradores sem água por conta da estiagem 

Samae afirma que caminhões-pipas não estão conseguindo atender a demanda de quase 7 mil residências desabastecidas

18/09/2019 - 13h12

Compartilhe

Gabriel
Por Gabriel Lima
Nível do Rio Itajaí-Mirim
Nível de água está baixo no Rio Itajaí-Mirim, que atende a região central de Brusque
(Foto: )

Moradores da região Sul de Brusque amanheceram sem água na torneira nesta quarta-feira (18). A estimativa do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) é que entre 6 mil e 7 mil residências estão com problema de abastecimento, principalmente em locais mais altos. Os bairros mais afetados são Dom Joaquim, Tomaz Coelho, Cedro Alto e Cedrinho.

O problema é causado porque os microssistemas de abastecimento de água no Ribeirão do Mafra e Dom Joaquim não estão conseguindo captar água suficiente das nascentes da região. Com chuva abaixo da média histórica nos últimos meses, o nível dos rios e nascentes está baixo para fornecer água suficiente às residências da região.

O presidente do Samae, Dejair Machado, afirma que caminhões-pipas foram enviados para distribuir água aos moradores. São dois veículos com 15 mil litros abastecendo residências em locais baixos e outro de 5 mil litros para chegar em casas mais altas. Mesmo paliativa, a ação não tem conseguido atender a demanda.

— Não temos como fornecer água na quantidade necessária. Então às vezes o abastecimento será feito somente durante a noite, outros momentos em algumas horas do dia. É um problema isolado, já que as outras estações seguem operando, mesmo que com uma vazão menor. A solução mesmo é chover — afirma.

Soluções de médio e longo prazo

Caso a situação não melhore até o fim do mês, há possibilidade da prefeitura de Brusque criar um decreto para levar água da região central, que é abastecida pelo Rio Itajaí-Mirim, para os bairros com dificuldade no fornecimento. Contudo, Machado ressalta que seria necessário construir novas adutoras, algo que exige prazo para implantação.

O presidente da Samae destaca que a solução definitiva é a estação de tratamento de água (ETA) da Cristalina, que está sendo construída no bairro Dom Joaquim. A prefeitura deve concluir o projeto técnico até o fim de outubro, de forma que a obra deve ser finalizada no prazo de um ano e meio.

— Hoje começou a chover bem, mas não adianta só por um dia. A previsão é que amanhã continue chovendo e siga assim até sábado. Se o volume for em torno de 20 mm por dia já irá amenizar cerca de 70% do problema que estamos enfrentando naqueles bairros — pondera.

Orientação é economizar água

Enquanto houver problemas no abastecimento, a orientação do Samae é que os moradores economizem água. Isso inclui usar menos água para tomar banho e deixar de fazer atividades como lavar carro, calçada e muro.

Deixe seu comentário:

publicidade