nsc

Opinião

Câmara da Capital vota contra a transparência

Requerimento para criar comissão para implementar política municipal de transparência foi rejeitado

15/08/2019 - 11h20 - Atualizada em: 15/08/2019 - 12h10

Compartilhe

Renato
Por Renato Igor
Câmara rejeita abertura de comissão para ampliar transparência
Câmara rejeita abertura de comissão para ampliar transparência
(Foto: )

A Câmara de Vereadores de Florianópolis deu um péssimo exemplo na noite desta quarta-feira (14). Rejeitou o requerimento de autoria do vereador Pedrão(PP) para criar uma comissão parlamentar especial para estudar a implementação de uma política municipal de transparência. Florianópolis está mal colocada nos principais rankings de transparência. Hoje, há dificuldades para se obter informações sobre as cotações de compras, informações sobre recursos, execução de contratos, obras, concessão de diárias e adiantamentos.

Esse projeto por mais transparência na capital contou com a parceria da Controladoria Geral da União (CGU) em SC, Ministério Público de Contas de SC, Observatório Social de Florianópolis, Tribunal de Contas do Estado, UDESC, Grupo de Pesquisa Politeia, Universidade Estadual de Londrina e Politize.

Há quem interessa não ser transparente?

Há quem interessa não disponibilizar os dados por completo?

O dia em que a sociedade se der conta de que, quanto maior for a transparência no poder público, menores serão as chances de corrupção, talvez a coisa mude.

Transparência precisa ser prioridade administrativa de qualquer gestor. Não pode ser de faz de conta.

Transparência significa mais possibilidade de controle social.

Será que é esse o problema?

O Vereador Pedrão diz já obter mais duas assinaturas para aprovar o requerimento. Com 12, o texto será aprovado.

Deve voltar ao plenário nas próximas semanas.

Leia as últimas notícias do NSC Total

Colunistas