nsc
    santa

    E o catioro vai junto!

    Casal blumenauense viaja de Kombi pela América do Sul

    Antes de continuar a jornada, a dupla deixou o veículo na Argentina e veio de carona até Blumenau

    07/09/2017 - 04h55 - Atualizada em: 07/09/2017 - 05h04

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    (Foto: )

    Você está em outro país, a 2,5 mil quilômetros de distância de Blumenau e quer voltar para casa. Neste caso, 99,9% das pessoas comprariam uma passagem de avião e logo estariam na terra do pão com bolinho. Não foi esse o caso da chef Roana Petri Celeste e do marido, o mestre cervejeiro Anderson Diego Strutz.

    Primeiro porque os dois estão desde janeiro desbravando a América do Sul de Kombi – e levam junto o yorkshire Zed. E depois, porque o casal estava no Norte da Argentina quando decidiram deixar o veículo na casa de uma pessoa que eles conheceram dois dias antes e vir de carona até a casa dos pais. (Sim, de carona!) A jornada durou quatro dias e garantiu dezenas de histórias para contar.

    (Foto: )

    — A gente foi no dedo mesmo, contando com a solidariedade das pessoas. Em postos de combustíveis, em cidades pequenas. Em uma cidadezinha da Argentina paramos em um posto da polícia rodoviária e os agentes fizeram uma blitz para perguntar aos motoristas quem poderia nos levar. E ali nós conseguimos um motorista que viajou 700 quilômetros com a gente — conta Roana.

    Nesse período em que curtem Blumenau, a dupla aproveita para matar a saudade dos familiares, reencontrar amigos e juntar dinheiro para continuar a viagem. No dia 18, eles partem novamente (de carona) para reencontrar a Kombi e seguir rumo ao Peru, Bolívia, Equador e Colômbia.

    A dupla mantém esse sonho vendendo brownies de chocolate – 2 mil já foram comercializados desde o início do ano – e postais dos lugares incríveis que já conheceram – e aí inclua a Patagônia, o deserto do Atacama e tantas outras paisagens de cair o queixo.

    (Foto: )

    Pessoas e caminhos

    O desejo de conhecer o mundo move Roana e Diego, mas dessa primeira parte da viagem eles dizem que as melhores lembranças têm a ver com as pessoas que passaram por eles no caminho.

    — A gente sai de casa pensando que é uma coisa, mas no caminho você vai perdendo esses pré-conceitos, essas ideias e descobre histórias impressionantes, gente muito boa, a fim de ajudar. Os lugares que conhecemos são bonitos, mas as pessoas tornam essa viagem ainda mais especial – diz a chef.

    Se conseguirem arrecadar dinheiro suficiente, o projeto não deve acabar no fim do ano, com um retorno da Colômbia pelo Norte do Brasil. A meta é atravessar o Canal do Panamá e seguir adiante, até o Alasca.

    (Foto: )

    Com coragem, coração aberto, o Zed de carona e preparados para vender muitos brownies ainda, eles têm esperanças de conseguir.

    — Depois de cair na estrada, a gente sempre quer mais — finaliza Anderson.

    Quer ajudar?

    Para bancar a aventura do Nossa Kombi é uma Viagem, Roana e Diego vendem brownies e cartões-postais. Se você quiser ajudá-los, faça contato pela página do projeto no Facebook.

    No dia 15 de setembro, eles estarão no Offcina Coworking (Rua Iguaçu, 209) para falar mais sobre esta jornada e dar dicas para quem quer cair no mundo. O encontro começa às 19h30min.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas