nsc

publicidade

Sistema carcerário 

Casamento coletivo é realizado na Penitenciária Industrial de Joinville 

Dez casais oficializaram o matrimônio na tarde da última sexta-feira 

09/11/2019 - 08h05

Compartilhe

Patrícia
Por Patrícia Della Justina
Filhos puderam realizar a entrega de alianças
Filhos puderam realizar a entrega de alianças durante a cerimônia
(Foto: )

Na tarde desta sexta-feira (8) dez detentos firmaram matrimônio em um local preparado a eles na Penitenciária Industrial de Joinville. O local foi todo decorado e cada detento tinha o direito de convidar até dez pessoas para a cerimônia. A ansiedade tomou conta. Convidados, noivos e noivas não contiveram as lágrimas.

- Eu estou bem nervosa, mas acho que ele (o noivo) está bem mais. Sempre foi o sonho dele – disse uma das noivas, Jaqueline.

O casamento coletivo ocorre uma vez ao ano na penitenciária. O requisito para participar é o bom comportamento. Além disso, a ação faz parte de um projeto de aproximação familiar contemplado em um dos pilares do sistema carcerário: a ressocialização.

De acordo com o diretor da penitenciária, João Renato Schitter, a ação desperta a responsabilidade que o detentos têm em relação à família. Ele também afirmou que a ação traz diversos benefícios evidentes na vida dos detentos.

- Desde que eu cheguei aqui, em 2016, este é o terceiro casamento coletivo que eu acompanho. A gente trabalha com eles todas as esferas da ressocialização e, com isso, a ação também aproxima os familiares que, muitas vezes, acabam se distanciando – pontua João.

Antes do casamento, a penitenciária faz um trabalho com os noivos para mostrar o papel deles em relação à família. Durante a cerimônia, a banda que tocou foi a Acordes da Liberdade. O conjunto também faz parte de um projeto da penitenciária e é formado por detentos.

Custos da cerimônia foram pagos pelos próprios detentos
Custos da cerimônia foram pagos pelos próprios detentos
(Foto: )

Conforme o diretor, todas as despesas da cerimônia são pagas pelos próprios detentos. A partir do trabalho deles, 25% do salário mínimo mensal recebido por eles é destinado a um fundo penitenciário todos os meses. Esse recurso é administrado mediante licitação e é destinado para benefícios dos detentos enquanto eles estão na penitenciária, como construção de sala de aulas, fabricação de canteiros de trabalho e também para custear esse tipo de despesa, como formaturas e casamentos.

Ação traz esperança para recomeço

Dez casais oficializaram união na tarde da última sexta-feira
Dez casais oficializaram união na tarde da última sexta-feira
(Foto: )

Para pedir Fernanda* em casamento, Marcelo* contou com a ajuda da irmã da noiva. Por meio de cartas, ele escreveu os detalhes de como queria que o quarto de Fernanda fosse decorado para a surpresa. Ele deu o dinheiro à irmã que preparou toda a surpresa do jeito que ele pensou.

- Cheguei em casa e vi tudo lindo e decorado. Chorei muito. Impossível não se emocionar – diz ela.

O casal tem um filho de um ano de idade e, agora, o casamento traz mais esperança para uma nova vida.

- Eu estava devendo uma surpresa para ela. Ela já vinha há muito tempo demonstrando que me ama. Agora eu pretendo sair daqui e casar de novo porque não sei quanto tempo vou ficar aqui. Vou aproveitar a oportunidade agora, mas vou casar de novo com ela quando sair – completa Marcelo.

*Os nomes verdadeiros não foram utilizados para preservar as identidades.

Leia as últimas notícias de Joinville e região.

Cerimônia foi realizada nesta sexta-feira
Cerimônia foi realizada nesta sexta-feira
(Foto: )
Cerimônia foi realizada nesta sexta-feira
Cerimônia foi realizada nesta sexta-feira
(Foto: )
Cerimônia foi realizada nesta sexta-feira
Cerimônia foi realizada nesta sexta-feira
(Foto: )
Cerimônia foi realizada na última sexta-feira
Cerimônia foi realizada na última sexta-feira
(Foto: )

Deixe seu comentário:

publicidade