nsc
dc

publicidade

TECNOLOGIA DO BEM  

Catarinense cria aplicativo para conectar doadores de sangue

Plataforma gratuita chamada "PiuPiu Life" foi lançada há 15 dias e é capaz de localizar doadores cadastrados em um raio de até 150 km 

22/07/2019 - 17h24 - Atualizada em: 22/07/2019 - 17h36

Compartilhe

Por Camila Levien
(Foto: )

Morador de Rodeio, no Vale do Itajaí, Brayon Pieske de 25 anos, estava acostumado a ouvir nas rádios os pedidos de ajuda em busca de bolsas de sangue para pacientes internados em hospitais da região. O Hemocentro mais próximo da cidade fica em Blumenau, uma distância de 44 km. Essa realidade trouxe a inspiração para buscar uma forma mais simples de encontrar pessoas dispostas a ajudar o próximo.

— Para chegar no Hemocentro nós precisamos perder um dia de trabalho e nem todos tem essa condição. Um dia eu ouvi alguém pedindo ajuda na mídia e fiquei um tempo pensando sobre isso, em como eu poderia deixar esse processo mais simples. Aí surgiu a ideia de fazer algo como o Tinder, só que para doações — afirma Pieske

O aplicativo chamado “Piu Piu Life” está no ar há aproximadamente duas semanas e nesse período mais de 400 pessoas realizaram o cadastro após baixarem o programa, segundo Brayon. O mecanismo de funcionamento é simples, basta se cadastrar com nome, idade, email, tipo sanguíneo e telefone.

O app tem acesso ao GPS, para que possa rastrear outros inscritos na mesma área. O alcance da busca é determinado pelo usuário e pode variar em um raio de 50 à 150 km de distância. A plataforma está disponível para download gratuitamente na Play Store em dois idiomas português e inglês.

O estudante de marketing conta que foi necessária muita dedicação para realizar o projeto. Brayon não é programador, apesar de ter feito alguns cursos na área, aprendeu a desenvolver programas digitais de maneira autodidata e para fazer o Piu Piu Life usava madrugadas, fins de semana e folgas do trabalho. Após o lançamento, ele diz que o desafio agora é expandir o app para o sistema IOS e disponibilizá-lo em outras línguas.

— Nós temos ali no app a opção para quem quiser contribuir, pois estamos tentando com uma vakinha deixar ele disponível em IOS (sistema usado no Iphone). Porém, o valor é alto, meu último orçamento para fazer isso foi de U$ 2.340,00 ou que equivale a R$ 8.728,20, isso sem contar os custos de tradução para outras línguas e outras despesas agregadas — comenta Brayon

A vaquinha digital já arrecadou R$ 3.170,90 e caso não dê resultado ele também trabalha com a ideia de parcerias com startups, governo ou empresas. Este é o terceiro aplicativo desenvolvido por ele. Aos 17 veio primeiro, criado na escola inventou um sistema sonoro para servir de alarme em casos de enchente. O projeto foi premiado pelo governo catarinense, que cogitou aplicar investir no sistema e oferecer para outros estados.

Anos depois, criou um aplicativo de troca de mensagens chamado "Piu-Piu", com uso diário de pelo menos 500 usuário, segundo Pieske. Desta vez ele conta que a expectativa é transformar o conhecimento agregado nas duas experiências em uma forma de fazer a diferença a vida de muitas pessoas.

— Quando alguém estiver numa emergência para achar doadores, vai ter esta ferramenta que é muito fácil de usar, e vai poupar muito tempo, e quanto mais rápido achar doadores, mais são as chances de salvar alguém, sem contar que, vamos supor, se alguém está numa cidade que tem poucos conhecidos, pedir ajuda é mais difícil. Com o aplicativo essa barreira não vai mais existir. — conclui o estudante

Doação de Sangue

De acordo com o Ministério da Saúde 16 a cada mil habitantes são doadores de sangue, no país. Em Santa Catarina, ao menos 450 pessoas doam sangue ao dia, segundo o Hemosc. A frequência máxima de doações é de quatro por ano para o homem e de três para a mulher. O intervalo mínimo deve ser de 2 meses para os homens e de 3 meses para as mulheres.

O Hemosc tem unidades em Florianópolis, Blumenau, Chapecó, Criciúma, Jaraguá do Sul, Joaçaba, Joinville, Lages e Tubarão. Para ser doador, é importante estar em boas condições de saúde.

Pré-requisitos para doar

Ter idade entre 18 e 69 anos, 11 meses e 29 dias;

Estar em boas condições de saúde, sem feridas ou machucados no corpo;

Pesar acima de 50 kg (com desconto de vestimentas);

Apresentar documento de identidade com foto, emitido por órgão oficial: RG., carteira profissional, carteira de motorista, etc.

Ter repousado bem na noite antes da doação; Evitar o jejum.

Fazer refeições leves e não gordurosas, nas 4 horas que antecedem a doação;

Evitar uso de bebidas alcoólicas nas últimas 12 horas;

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Saúde

publicidade

Colunistas

    publicidade

    publicidade

    publicidade