nsc
santa

Prova real

É falso que Lula estava em Fernando de Noronha durante tragédia de 2008 em SC

Postagens enganam ao afirmar que ex-presidente não veio ao Vale do Itajaí após as chuvas que deixaram 135 mortos

07/01/2022 - 05h52 - Atualizada em: 07/01/2022 - 13h25

Compartilhe

Talita
Por Talita Catie
Postagem diz que SC vivia a pior tragédia em 34 anos, porém foi feita mais de um mês após a tragédia de 2008.
Postagem diz que SC vivia a pior tragédia em 34 anos, porém foi feita mais de um mês após a tragédia de 2008.
(Foto: )

Circulam nas redes sociais publicações apontando que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) curtia a folga de réveillon em Fernando de Noronha enquanto Santa Catarina enfrentava a maior tragédia climática da história, em 2008. Essa informação é falsa e as postagens com datas equivocadas trazem desinformação.

A publicação é uma espécie de resposta às críticas ao atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), que durante o auge da catástrofe na Bahia decidiu passar os dias de folga em SC com a família em vez de ir ao Nordeste do Brasil prestar apoio e solidariedade aos atingidos.

> Receba notícias do Vale do Itajaí pelo WhatsApp

Mas até onde essas publicações são verdadeiras? Pois bem, o Santa esclarece.

A tragédia que assolou Santa Catarina em 22 de novembro de 2008 (e não em 30 de dezembro, como mostra a imagem falsa) atingiu cerca de dois milhões de pessoas no Estado e tirou a vida de 135 moradores, conforme a Defesa Civil. 

Quatro dias após os morros deslizarem deixando um rastro de destruição, Lula veio a Santa Catarina e sobrevoou as cidades de Navegantes, Itajaí e Luís Alves ao lado do então governador Luiz Henrique da Silveira. O mau tempo impediu o sobrevoo sobre Blumenau e Gaspar, como noticiado pelo Jornal de Santa Catarina naquela data.

— A pior calamidade ambiental que já enfrentamos — disse o ex-presidente durante a passagem pelo Estado, quando assinou uma medida provisória liberando R$ 1,6 bilhão destinado à recuperação dos estragos.

Já em 12 de dezembro, o ex-presidente petistas voltou ao Estado e numa agenda em Blumenau visitou desabrigados. No ginásio da EBM Vidal Ramos, conheceu a mãe da pequena Luana Eger, que morreu soterrada na tragédia. Lula a abraçou e recebeu uma fotografia da criança. Recebeu também um livro e um Papai Noel de presente de uma professora. 

Naquele ano, Lula e a esposa passaram o réveillon em Fernando de Noronha, sim, porém um mês após o estopim da tragédia.

> Lula visita SC e apresenta ações do governo federal para recuperar o Estado

Bolsonaro e a Bahia

As enchentes no estado nordestino começaram no início de dezembro. No dia 12 daquele mês, o presidente da República sobrevoou a região, mas não chegou a visitar os desabrigados. 

No dia 12 de dezembro, Bolsonaro sobrevoou a Bahia
No dia 12 de dezembro, Bolsonaro sobrevoou a Bahia
(Foto: )

A situação, porém, se agravou após o Natal. Foram ao menos 26 mortes e mais de 815 mil pessoas afetadas. 

No dia 27 de dezembro, Bolsonaro chegou a Santa Catarina acompanhado da esposa e da filha caçula. Entre passeios de jet ski, visita a parque de diversões e apostas na Mega da Virada, disse:

— Espero não ter que retornar antes — ao se referir a possíveis compromissos presidenciais.

Neste período em solo catarinense, o presidente ainda recursou ajuda humanitária da Argentina na Bahia. Após passar mal depois do almoço no domingo (2), o chefe da Nação embarcou às pressas para São Paulo onde chegou a ser internado e, mais tarde, liberado. Um camarão mal mastigado foi o que motivou a hospitalização do presidente.

> Blumenau abre pontos de coleta de donativos para ajudar famílias da Bahia

Colunistas