Santa Catarina chegou a 55 mortes por gripe A ou B em 2019, segundo boletim da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC). O relatório foi divulgado nesta segunda-feira (16) e aponta quatro casos a mais do que na semana anterior. Entre os óbitos, 44 pacientes tinham algum fator de risco, como idade superior a 60 anos, obesidade ou doença crônica. Em relação ao vírus, a maioria das mortes ocorreu por gripe A H1N1.

Continua depois da publicidade

Jaraguá do Sul é a cidade com maior número de ocorrências. Dos 11 pacientes confirmados com o vírus este ano, sete morreram. O último óbito pela doença, no município, foi confirmado na sexta-feira (13) e divulgado nesta segunda. A vítima integrava o grupo de risco.

No estado, 434 pessoas tiveram gripe A ou B este ano. Desses, 261 apresentavam pelo menos um fator de risco para agravamento.

A Campanha de Vacinação contra Influenza exclusiva para os grupos prioritários acabou no dia 31 de maio. A partir do dia 3 de junho, o Ministério da Saúde ampliou a vacinação para todas as faixas etárias devido à baixa cobertura vacinal. A cobertura do estado foi de 87,25% e a meta era de 90%.

Continua depois da publicidade

Destaques do NSC Total