nsc
dc

Estiagem

Chuva foi pouca, mas já ajudou reservatórios e lavouras no Oeste de Santa Catarina 

Agosto foi o terceiro mês abaixo do normal mas chuva do sábado foi positiva

02/09/2019 - 16h38 - Atualizada em: 02/09/2019 - 16h47

Compartilhe

Darci
Por Darci Debona
Chuva já deu um alívio por duas semanas no abastecimento de Chapecó
Reservatório da Casan em Chapecó, que estava abaixo do nível, encheu com a chuva de sábado
(Foto: )

A chuva do final de semana foi pouca, cerca de 20 milímetros, mais ajudou na recuperação de reservatórios e lavouras na região Oeste de Santa Catarina. E praticamente dobrou a quantidade de chuva do mês de agosto, que fechou em 43,8 milímetros, segundo dados da estação meteorológica da Epagri em Chapecó.

Porém, foi bem abaixo da média - 136 milímetros. Mas já deu um alívio de duas semanas no reservatório da Casan em Chapecó, que é a barragem do Engenho Braun, no Lajeado São José.

— O nível da barragem subiu cerca de 50 centímetros e já está praticamente cheia, próximo de transbordar. Isso dá uma boa normalizada e nos deixa mais tranquilos para os próximos 15 a 20 dias. Se der uma chuva dessas a cada semana não teremos problema com o abastecimento em Chapecó — afirmou o gerente da unidade local da Casan, Bruno Comunello.

Ele somente não suspendeu o Estado de atenção para a cidade pois não há previsão de grandes volumes de chuva. Por isso a recomendação continua sendo para que a população economize.

Em Abelardo Luz o responsável pela Casan, Rafael Antonio Pantano, disse que a chuva não foi significativa, mas ajuda.

— Ajuda um pouco a chuva, o frio, hoje não teremos falta de água e amanhã também não — disse Pantano.

A captação no município reduziu de 30 litros por segundo para 25 litros por segundo em agosto. O motivo é que já faz três meses que chove menos do que a média história.

De acordo com dados do Centro de Pesquisa em Agricultura Familiar de Epagri em Chapecó no mês de junho choveu apenas 44 milímetros, ¼ da média de 176,2 milímetros e, em julho, foram 96,8 milímetros para uma média de 153 milímetros.

O gerente do Cepaf/Epagri, Alberto Höfs, disse que a falta de chuva já causou algum prejuízo nas lavouras de trigo, mas a chuva amenizou a situação.

O secretário de Agricultura de São Domingos, Aldocir Anghinoni, disse que o transporte de água para oito propriedades do interior continuam, mas a chuva já serviu para dar início ao plantio de milho.

— Quatro agricultores já tinham plantado na semana passada, esperando a chuva, e outros começaram nesta semana — explicou.

A previsão trimestral do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram/Epagri) é de chuva abaixo da média também os meses de setembro a novembro. Mesmo assim ela deve ser melhor distribuída do que no trimestre anterior. Pelo menos há nova previsão de chuva a partir de quinta-feira.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Cotidiano

Colunistas