nsc
dc

Tempo

Ciclone e maré alta causam estragos em praias de Santa Catarina; Defesa Civil alerta para novo pico

Ressaca foi registrada em Florianópolis e em outras cidades litorâneas

04/04/2020 - 09h36 - Atualizada em: 05/04/2020 - 08h13

Compartilhe

Cláudia
Por Cláudia Morriesen
No Farol de Santa Marta, em Laguna, o mar atingiu galpões
No Farol de Santa Marta, em Laguna, o mar atingiu galpões
(Foto: )

Neste sábado (4), um ciclone extratropical combinado à maré alta causou estragos em cidades do Litoral de Santa Catarina como Florianópolis, Balneário Camboriú, Itajaí e Laguna. De acordo com o diretor da Defesa Civil de Florianópolis, Luiz Eduardo Machado, o pico de maré ocorreu à meia-noite, momento em que também houve o deslocamento do ciclone na região, causando empilhamento de encosta.

Em Florianópolis, o nível da maré chegou a 1,78 metro. O sul da ilha teria sido o lugar mais afetado, com destaque para o Campeche, mas esta informação estava sendo verificada pela Defesa Civil nesta manhã. Outros bairros e praias, como Pântano do Sul, Joaquina e Rio Tavares também foram afetados. O levantamento oficial só será concluído pela Defesa Civil à tarde.

Isso porque a previsão é de que um novo pico de maré ocorra às 12h25, o que preocupa mais a Defesa Civil, já que deve atingir lugares já fragilizados pela ressaca da madrugada.

— Foi bem alto o nível da maré de madrugada. Após o pico de maré ao meio-dia e 25 é que vamos avaliar se manterá o nível ou se o evento abaixará. Essas secundárias, às vezes, são mais graves do que a primeira, e destroem muito — informou Machado.

Segundo ele, o Sul de Florianópolis foi mais atingido por causa da posição geográfica e pelo movimento da maré. As praias do Norte da Capital tiveram alta no nível do mar, com entrada da água na areia em lugares como Canasvieiras, mas com menor energia. Ainda não havia informações sobre dano humano, com pessoas que tiveram que deixar suas casas, por exemplo.

A Defesa Civil de Santa Catarina recomendou atenção especial nesta tarde para os locais próximos a desembocaduras de rios, e para a Rodovia Diomício Freitas, o Centro de Eventos – CentroSul, a avenida da Saudade e as praias do Sul da Ilha. Em outras cidades, a atenção é para a Avenida Atlântica, em Balneário Camboriú; Barra Velha, Araranguá, Laguna, Itajaí e Joinville.

foto mostra avenida beira rio
Avenida Beira-rio, em Balneário Camboriú, ficou alagada
(Foto: )

Em Balneário Camboriú, a Avenida Atlântica ficou coberta por areia. Além do Centro, o Bairro dos Municípios e a Vila Real também tiveram ruas afetadas. Em Itajaí, a água invadiu diversos pontos da cidade, nas áreas mais baixas. No Sul do Estado, lugares como o município de Balneário Rincão e o Farol de Santa Marta, em Laguna, também foram atingidos.

foto mostra escada de acesso à praia destruída
Em Barra do Sul, a maré chegou ao acesso à areia e às calçadas
(Foto: )

No Litoral Norte, houve áreas afetadas em Balneário Barra do Sul onde, devido à agitação do mar e à influencia do pico de maré, ocorreram ressacas e alagamentos, causando erosão de margem nos bairros Salinas, Centro e Boca da Barra.

São Francisco do Sul registrou estragos nas praias da Enseada, Prainha, Praia Grande e Ubatuba, principalmente na pavimentação das ruas, nas calçadas e nas escadas de acesso à areia.

Veja o alerta do Epagri/ Ciram para este fim de semana

Neste sábado (4) e domingo (5), há o risco de alagamentos nas regiões mais baixas do litoral catarinense, devido à maré alta. Este fenômeno será provocado pela influência do vento do quadrante sul e forte agitação marítima com ondas de 2,0 a 3,0 m, podendo chegar a 4,0m no Litoral.

Recomenda-se especial atenção para os horários e locais próximos a desembocaduras de rios, Rod. Diomício Freitas, Centro de Eventos – CentroSul, avenida da Saudade, praias do Sul da Ilha de Santa Catarina, Avenida Atlântica de Balneário Camboriú, Barra Velha, Araranguá, Laguna, Itajaí, Joinville, entre outros.

Os horários mais prováveis dos alagamentos coincidirão com os picos de maré alta previstos na tabela 1 e litoral on line e maregrama no site do Ciram.

tabela mostra números de pico de maré em Santa Catarina
Confira os picos de maré em Santa Catarina
(Foto: )

Defesa Civil de Santa Catarina divulgou orientações

De acordo com previsão da Defesa Civil de Santa Catarina, neste fim de semana persistem as condições de mar muito agitado e ressaca, com ondas de sudeste e alturas entre 2,5 m a 3,5 m, com picos de até 4,0 m em toda costa catarinense. Essa condição se mantém até a manhã de domingo (5).

O que fazer em caso de ressaca:

• Atenção para edificações, infraestruturas e vias em áreas vulneráveis à erosão.

• Proteja embarcações e apetrechos de pesca e maricultura.

O que fazer em caso de mar agitado:

• Evite a navegação e a atividade de pesca.

• Evite banhar-se no mar ou praticar esportes náuticos.

• Evite caminhar ou pedalar na orla, caso as ondas estejam atingindo a ciclovia.

Colunistas