nsc
dc

Fiscalização

Cidasc vai contratar 25 veterinários 

Profissionais vão reforçar ações de sanidade animal e saúde pública

06/03/2020 - 15h51

Compartilhe

Darci
Por Darci Debona
Fiscalização da Cidasc na divisa com o Paraná
Profissionais vão reforçar trabalho para garantir status sanitário diferenciado de Santa Catarina
(Foto: )

A Companhia Integrada para o Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina vai contratar em 25 veterinários para atuar no serviço de fiscalização e reforçar a sanidade animal e a saúde pública do Estado. Tratam-se de profissionais aprovados em concurso realizado ainda em 2016, que eram para ter sido chamados em 2018 mas que somente agora será autorizada a contratação.

De acordo com a presidente da Cidasc, Luciane Surdi, a equipe técnica está fazendo o estudo de onde a demanda é maior, para fazer a distribuição dos profissionais.

- Em breve serão chamados. Temos um déficit grande no interior do estado, onde temos a produção de suínos e aves. É uma reposição e também um reforço. Nossas atividades se intensificaram nos últimos anos. Estamos fazendo mais com menos porém este reforço vem em boa hora – disse Luciane.

Atualmente a companhia conta com 150 veterinários em todo o estado e 400 barreiristas que atuam nos 63 postos instalados nas divisas com o Rio Grande do Sul e Paraná, além da fronteira com a Argentina.

A Cidasc tem esse papel de garantir a sanidade do rebanho catarinense e o status sanitário diferenciado, que é de Zona Livre de Aftosa Sem Vacinação, conquistado em 2007, na Organização Mundial de Saúde Animal. Graças a esse status Santa Catarina é o único estado a vender carne suína in natura para Japão, Estados Unidos e Coreia do Sul.

Somente em fevereiro as exportações de carnes somaram cerca de R$ 1 bilhão. Além de trabalhar para garantir uma das principais fontes de renda dos catarinenses o chamamento dos veterinários também vai atender a demanda de saúde pública, que é a de garantir um alimento saudável. Santa Catarina também trabalha para chegar próximo da erradicação da tuberculose e brucelose, doenças que afetam os bovinos mas que podem atingir também os humanos. O estado tem 750 propriedades certificadas com o livres da doença.

Também vai beneficiar os produtores e agroindústrias, que tem muitas demandas para a Cidasc.

Recentemente a secretaria de Agricultura do Estado também lançou uma campanha de conscientização nos aeroportos, rodovias e acessos, para evitar a entrada de produtos que possam contaminar a produção catarinense, tanto animal quanto vegetal.

Afinal quase 70% das exportações e 30% do Produto Interno Bruto de Santa Catarina vem do agronegócio e a sanidade é essencial para manter os mercados internacionais.

Colunistas