Com o objetivo de aproximar a arte e a cultura de espaços públicos – e de forma gratuita – uma ação promovida pela NSC no último final de semana reuniu mais de 1,5 mil pessoas que prestigiaram sessões de cinema ao ar livre. O evento fez parte da programação especial para celebrar os 350 anos de Florianópolis, com exibição de dois filmes nacionais para proporcionar diversão e entretenimento para toda a família: Minha Mãe é Uma Peça 2 e Minha Mãe é Uma Peça 3, protagonizados pelo ator Paulo Gustavo.

> Cinema ao ar livre: Um respiro de arte em meio ao cinza da cidade

Com a magia do telão e brindes especiais, a primeira edição do Cine Park Floripa, que ocorreu no sábado (25), no Parque da Luz, contou com a distribuição de mil saquinhos de pipoca e outros mil de algodão doce.

O filme é um longa-metragem de comédia dirigido por André Pellenz, protagonizado pelo artista Paulo Gustavo, que fez o papel de Dona Hermínia. Humorista, ator, diretor e roteirista, Paulo Gustavo foi um dos artistas mais populares do país e faleceu em maio de 2021, com 42 anos, devido a complicações relacionadas à covid-19. Na série com três filmes, a primeira foi lançada em 2013, a segunda em 2016 e a terceira em 2019. Na peça e série de filmes de sucesso, Paulo Gustavo interpreta o estereótipo da mãe brasileira.

As pessoas levaram cangas e cadeiras para aproveitar a sessão de filmes

Segundo a organização, o evento buscava proporcionar uma experiência especial em um ambiente diferenciado e atrativo para comemorar o aniversário da capital catarinense junto à família e aos amigos.

A ação ainda é uma forma de democratizar o acesso à arte em ambientes fora do roteiro tradicional relacionado a essa temática. Desenvolver e valorizar a promoção da cultura nacional, levando a possibilidade a milhares de pessoas que poderiam não ter acesso de forma paga, reforça a conexão com a comunidade local. Além da realização da NSC, o Cine Park Floripa contou com patrocínio de Quantum Engenharia e Crédito Real, além do apoio da Atlântida FM.

Cinema ao ar livre

Com visão panorâmica de olho na tela, os cinemas ao ar livre se tornaram populares principalmente na década de 50 e 60 no cenário internacional, ganhando maior popularidade no Brasil na década de 70, principalmente na modalidade “autocine”, um cinema no formato drive in, quando a obra é assistida de dentro do carro. No entanto, são diversas as possibilidades para esse tipo de entretenimento.

O cinema ao ar livre pode ser realizado em estruturas viabilizadas em áreas públicas como praças, parques, campus da universidade, onde a exibição for permitida, ou até em unidades privadas, como eram comuns quando foram criados, com plateias sentadas em seus carros dentro de estacionamentos.

Os autocines, como eram chamados, ficaram mais populares a partir da exibição do filme “Grease, nos tempos da brilhantina”, em que os protagonistas Danny e Sandy têm um encontro em uma estrutura como essa.

Continua depois da publicidade