nsc

publicidade

Ponto de encontro

Com sete bares, rua Victor Meirelles torna-se reduto de jovens na noite de Florianópolis

Em apenas duas quadras, sete bares disputam a frequência de estudantes, artistas e pessoas ligadas à arte e à cultura

03/05/2019 - 18h58 - Atualizada em: 04/05/2019 - 15h33

Compartilhe

Leonardo
Por Leonardo de Abreu
(Foto: )

A rua Victor Meirelles, entre Saldanha Marinho e Avenida Hercílio Luz, em Florianópolis, se transformou no maior ponto de encontro dos jovens nas noites de sextas e sábados. Em apenas duas quadras, sete bares disputam a frequência de estudantes, artistas e pessoas ligadas à arte e à cultura. O público começou a ser atraído ao local com a abertura do No Class, em 2017. Imediatamente surgiram novos empreendimentos, como o Bar Madalena, que acaba de completar seis meses de sucesso, e o Janelinha, que vieram a se somar aos outros já existentes.

O número de frequentadores cresceu de forma tão expressiva que hoje a rua fica totalmente tomada entre às 21h e 2h da madrugada, transformando-se no principal ponto de "esquenta" para as demais baladas da região, e ajudando a revitalizar o espaço até então abandonado e perigoso para quem quisesse circular pelo centro da cidade nesse horário. Conheça abaixo os principais bares da rua.

Leia também: Sábado para curtir ao som de Beatles

No Class

Inaugurado em 2017, foi responsável pelo início de boa parte do movimento da Victor Meirelles. O bar, aberto de terça a sábado, possui um cardápio cheio de opções entre drinks clássicos e autorais, com um preço amigável. O ambiente, de pegada industrial, é rodeado de luzes vermelhas, perfeito para os instagramers de plantão. Na trilha sonora, os amantes de música dos anos 80 vão ficar bem satisfeitos. A recomendação da casa é o famoso Ginger Collins (gin, xarope de gengibre, limão e club soda) com acompanhamento da batata rústica. As pessoas costumam gastar de R$80 a R$100 no estabelecimento.

No Class
(Foto: )

Janelinha

Com as filas enormes na porta do No class, os sócios abriram uma "janelinha" para vender algumas bebidas e tornar a espera um pouco menor. Em contrapartida, a tal da janela também fez muito sucesso, fazendo com que a mesma ganhasse um próprio espaço na rua. A ideia é ótima para quem gosta de beber sentado na calçada, jogando conversa fora e apreciando o movimento. Os drinks vão de R$13 a R$30. Também são vendidos alguns chips e amendoins. A recomendação é o clássico Chorume - jägermeister, energético e limão.

Janelinha
(Foto: )

Madalena

Sua estética criada a partir da inspiração em filmes como A Liberdade é Azul, bem como as séries Black Mirror e Twin Peaks, já está famosa nas redes sociais dos jovens da região. É possível ficar na parte de baixo, ou na de cima (que vez ou outra rola uma pistinha de dança com DJ). No som eclético, tem desde música brasileira, até rock underground dos anos 60 e 70. A recomendação da casa é o Sapatônica - gin tônica com xarope de tangerina. O menu tem carta de drinks assinada por Patrick Nienov e possui a mesma faixa de preço dos outros bares da rua. O Madalena funciona quartas e quintas das 19h às 02h, e sexta e sábado das 20h às 02h.

Madalena
(Foto: )

Deixe seu comentário:

publicidade