Mais de R$ 8,9 milhões em valores foram apreendidos nos últimos 16 meses nas operações policiais de repressão à corrupção em Santa Catarina. O dado faz parte do Balanço da Coordenadoria de Combate à Corrupção (CECOR/DEIC) da Polícia Civil (PCSC) divulgado nesta quarta-feira (17). 

Continua depois da publicidade

Entre na comunidade exclusiva de colunistas do NSC Total

Segundo a polícia, houve um aumento de 2.782,3% no número de apreensões nos primeiros quatro meses deste ano se comparado ao mesmo período de 2023, quando foram apreendidos R$ 6,6 milhões. No ano passado também foram cumpridas 25 prisões, 212,5% a mais do que em 2022. 

O número de buscas subiu em 48,1% com o cumprimento de 194 mandados. As operações policiais também cresceram 187,5%, se comparado ao ano de 2022. Ao todo foram 23 operações.

“Rachadinha”: Vereador de Joinville é alvo de operação contra corrupção

Continua depois da publicidade

De acordo com o delegado Ulisses Gabriel, a PCSC tomou decisões estratégicas privilegiando a investigação e a inteligência policial que, com apoio da tecnologia, resultou na otimização de processos e de resultados. 

Além disso, segundo a CECOR/DEIC, nos primeiros quatro meses deste ano, mais de R$ 2,3 milhões de valores foram apreendidos nas operações envolvendo o crime de corrupção. 

O número de presos por corrupção também aumentou no Estado. Neste ano, 13 pessoas foram presas na prática do crime, um aumento de 85,7% em relação a 2023. 

As buscas e apreensões aumentaram 504,5%, totalizando 133 mandados cumpridos (contra 22 no primeiro quadrimestre de 2023). Entre janeiro e abril deste ano, a CECOR/DEIC realizou 13 operações policiais, aumentando a produtividade em 333,3%.

Continua depois da publicidade

Leia mais

Procurado por triplo homicídio no Norte do país é preso na Grande Florianópolis

Suspeito de render família e matar homem é preso em Joinville: “Extrema violência”, diz polícia

Destaques do NSC Total