nsc

publicidade

Pequenos Grandes Talentos

Como a brincadeira ajuda a despertar o talento das crianças 

Contar, criar e ler histórias para os pequenos são maneiras de estimular o desenvolvimento de habilidades

12/07/2019 - 05h55 - Atualizada em: 12/07/2019 - 07h51

Compartilhe

Por Dayane Bazzo
Na brincadeira, a criança vive diferentes experiências e constrói noções, percebe vontades e desejos
Na brincadeira, a criança vive diferentes experiências e constrói noções, percebe vontades e desejos
(Foto: )

O ato de brincar é algo comum na infância, que toda criança faz ou deveria fazer. Mas você sabia que uma simples brincadeira, algo comum do dia a dia, é capaz de instigar o interesse natural dos pequenos e, consequentemente, desenvolver grandes habilidades? É justamente esse o mote de Pequenos Grandes Talentos, nova série da NSC TV, que estreia neste sábado (13). São histórias de crianças que foram impulsionadas, pelo olhar de um adulto próximo, a desenvolverem seus talentos.

A pedagoga e professora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Luciane Schlindwein explica que todas as pessoas têm a capacidade de desenvolver habilidades, pois não nascem prontas ou predestinadas a seguir uma carreira, por exemplo. Para ela, o ser humano nasce inteligente e, por isso, pode aprender qualquer coisa. Já o aprendizado precede o desenvolvimento, ou seja, quanto mais a criança aprende, mais ela se desenvolve.

— A criança não nasce pronta e sua formação é influenciada pelo meio em que ela está inserida. O meio cria possibilidades que vão chamando a atenção dela pela forma como são significadas e pelos valores embutidos — explica.

Partindo dessa premissa, é fundamental que as crianças tenham acesso a diversas possibilidades através das brincadeiras, conforme a pedagoga. É no contato com o lúdico que a criança vive as mais diferentes experiências e, a partir delas, constrói suas noções, percebe as vontades, os desejos e as possibilidades a serem exploradas.

Luciane destaca ainda que o desenvolvimento de habilidades e interesses não deve ser algo forçado, mas que a criança possa experimentar de forma lúdica.

— O ser humano não se constitui num processo causal, nós não somos causa e efeito. Se eu fizer meu filho construir blocos lógicos, posso pensar que ele vai ser engenheiro, mas se for algo forçado, ele pode criar uma aversão àquilo. Assim, é muito importante que a criança tenha muitas possibilidades, que sejam variadas e façam parte das brincadeiras.

Por fim, o mais importante é sempre ouvir a criança, sabendo que ela vai sempre se espelhar no adulto. O adulto é alguém que a criança vê como um modelo.

Dicas de como ajudar no processo de aprendizagem das crianças

- Oferecer diversos materiais e brincadeiras

Oferecer as crianças materiais para brincar como papeis, tintas, lápis de cor, massinha de modelar, areia, barro, entre outros. Quanto mais variedade, melhor.

- Instigar a pensar sobre coisas do dia a dia

Segundo Luciane, o adulto precisa instigar a criança a pensar sobre situações da vida comum, sobre questões de atemporalidade, o antes, o depois, o sol, a lua, a água. Tudo o que está ao redor da criança é matéria rica e viva para novas aprendizagens. Além disso, o adulto está numa posição que ele pode problematizar para a criança situações do cotidiano, no sentido de que ela fique mais curiosa e estranhe aquilo que parece ser normal.

— Existe um mundo que está pronto quando nascemos, mas quem vai dar as informações do que é bom, ruim, certo e bonito são os adultos, seja o professor, pai, avô, tio, irmão. A posição do adulto é sempre de estabelecer uma mediação com a criança, no sentido de dar a ela pistas para que ela compreenda essa relação dela com o mundo, que ela entenda os valores e os sentidos das coisas e construa suas hipóteses.

- Contar, ler e criar histórias

As histórias trazem para o plano imaginativo questões simples e complexas com as quais a criança precisa lidar. Segundo Luciane, a literatura infantil é fundamental para esse processo de novas aprendizagens e maior desenvolvimento. As histórias infantis podem ser narradas pelo adulto. Uma boa dica é o adulto começar a história e provocar a criança a continuar, construindo uma história partilhada.

Já as histórias lidas apresentam para a criança outra linguagem, a da escrita, além de mostrarem outros elementos, como novas palavras, novas ambiências, personagens, argumentos textuais, o que vai também provocar a criança na imaginação, na sua fantasia e no seu processo criativo.

- Apresentar jogos, cantigas e teatro

Os jogos, o teatro infantil e as cantigas populares também são formas de brincadeiras que ajudam no aprendizado da criança. Uma dica é contar e mostrar para a criança como eram as brincadeiras e cantigas da época dos pais, por exemplo.

- Ajudar nas tarefas de casa

Inserir a criança nas tarefas domésticas, coisas mais simples de se fazer, também é uma forma de aprendizado. Isso porque a criança cria uma compreensão sobre a organização da casa e dos espaços, além de se sentir valorizada.

Pequenos Grandes Talentos

A série Pequenos Grandes Talentos retrata a vida de crianças que se tornaram grandes pensadores, artistas, cientistas e religiosos. Em sua grande maioria, essas crianças foram impulsionadas pelo olhar de um adulto próximo que enxergou um potencial para vencer adversidades, dificuldades sociais e até mesmo preconceitos de diferentes épocas. O primeiro episódio será exibido no sábado (13) e contará a história de Anita Garibaldi. Até setembro serão apresentados 12 episódios especiais, com 28 minutos de produção cada, sempre aos sábados, às 14h.

Confira o cronograma de exibição:

13/07 - Anita Garibaldi

20/07 - Pablo Rossi

27/07 - Paulo Evaristo Arns

03/08 - Cruz e Sousa

10/08 - Rogério Sganzerla

17/08 - Everaldo Teixeira-Pato

24/08 - Antonieta de Barros

31/08 - Willy Zumblick

07/09 - Zilda Arns

14/09 - Lindolf Bell

21/09 - Santa Paulina

28/09 - Highligts

Deixe seu comentário:

publicidade