A carta de um joinvilense escrita em setembro de 2000 motivou a criação das conhecidas áreas de escape que ficam às margens da BR-376, entre Santa Catarina e o Paraná. No texto, Pedro da Silva, atualmente com 92 anos, relatava que era caminhoneiro e já havia presenciado diversos acidentes com morte na via e, por este motivo, sugeria a criação de uma saída de emergência, coberta com areia, para amortecer a velocidade dos caminhões que perdessem os freios. A ideia, no entanto, não foi acatada de imediato e, um ano e oito meses após o pedido, o idoso acabou perdendo um filho no mesmo trecho.

Continua depois da publicidade

Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

À época, a carta foi enviada para o então governador do Paraná, Jaime Lerner, que por sua vez respondeu que a rodovia era de atribuição federal, mas que o Palácio Iguaçu iria repassar a sugestão. Seu Pedro lembra até ter ficado surpreendido com a atenção recebida. No entanto, cerca de dois anos depois, ainda sem uma resposta por parte do governo em Brasília, o idoso vivenciou mais uma tragédia: desta vez, envolvendo um ente querido.

Ele perdeu o filho, Ênio, e um amigo no local em que sugeriu o dispositivo de emergência. O homem tinha 43 anos e, no momento do acidente, viajava no banco do carona do caminhão que foi utilizado a vida toda pelo pai, que ganhou a vida nas estradas.

— Morria muita gente, eram constantes as mortes (nessa época). Foi uma dor na alma. E um dia perdi meu filho e meu amigo. Foi uma dor na alma — desabafa o idoso.

Continua depois da publicidade

Só dez anos após esta tragédia que a pista ganhou uma saída de emergência para caminhões desgovernados. O trecho conta com duas áreas de escape que, desde que foram implementadas, já salvaram mais de 900 vidas.

BR-376 conta com duas áreas de escape no trecho entre SC e PR (Foto: NSC TV/Reprodução)

— Apesar de não termos conhecimento da história anterior de seu Pedro, no futuro ela se cruza, e tem o mesmo objetivo, que é salvar vidas e dar uma segunda oportunidade — destaca José Acácio Júnior, gerente de operações da Arteris.

Mais de 20 anos depois, os caminhos de seu Pedro e da rodovia se cruzaram novamente. Quando souberam da história, agentes da concessionária convidaram seu Pedro para visitar as áreas de escape na BR-376. Realizado, o idoso pôde ver de perto o desejo concretizado.

— Agora eu posso me despedir em paz, porque os meus olhos viram a salvação pra muitas pessoas que transitam por ali — diz o idoso.

Continua depois da publicidade

*Com informações de NSC TV

Leia também

Áreas de escape da BR-376 impedem dois acidentes com caminhões em menos de um dia

Caminhões sem freio usam área de escape da BR-376 em intervalo de 2 minutos; veja o vídeo

Destaques do NSC Total