Acho que todos sabemos que em situações extremas, a água é o recurso mais importante para a sobrevivência, não é mesmo? Isso acontece pois o nosso corpo tem uma resistência muito maior à falta de comida do que a escassez de líquidos. Enquanto o ser humano pode chegar a ficar até duas semanas sem se alimentar, a desidratação pode passar a ser letal depois de cerca de 3 a 4 dias.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

A razão disso é que a água é o principal componente do organismo e está presente em processos químicos fundamentais.

Além disso, outras funções são o controle da temperatura corporal, quebra e absorção de nutrientes e está presente em praticamente todo o processo do sistema de excreção. É por isso que seu cérebro tem uma urgência tão grande em sinalizar que a água está em falta. Confira abaixo todos os alertas que o nosso organismo dá.

Continua depois da publicidade

Corpo desidratado: o que acontece? 

Antes de mais nada, a desidratação é um tipo de desarmonia entre a perda natural de água e o consumo. Neste contexto, alguns pontos sempre merecem mais atenção.

Os idosos, por exemplo, são o grupo mais suscetível ao quadro. Muito dessa propensão vem de alterações inerentes do envelhecimento.

Conheça os sintomas da desidratação

Continua depois da publicidade

A importância da hidratação

Parece um ato dos mais comuns de nossa rotina, mas o simples ato de beber água com frequência protege de doenças e quadros diversos que tenham conexões com a desidratação.

Assim, quando seu corpo não tem a quantidade adequada de água, ele pode desenvolver:

  • Maior risco de doenças renais e urinárias;
  • Alterações cognitivas;
  • Dificuldades com o metabolismo.

Piora nas funções renais e urinárias

Melhorar o consumo de água pode manter um melhor funcionamento dos rins e do sistema urinário. Um dos efeitos da adoção desse hábito é a redução da possibilidade de acúmulo de pedras nesta região.

Assim, uma situação que envolva frequentes desidratações no organismo pode trazer situações até mais perigosas, como infecções urinárias e perda parcial ou total das funções renais. Quadros como esse podem gerar internações e até levar à óbito. Entre os idosos, por outro lado, o risco de dano é ainda maior. Tendo em vista que muitos fazem uso contínuo de remédios que tratam pressão alta.

Continua depois da publicidade

O princípio ativo dos medicamentos junto com uma má hidratação pode gerar insuficiência renal.

Sensação de confusão

Além do sistema de excreção, o sistema nervoso também se utiliza muito da água. Portanto, estudos demonstram cada vez mais para provar que a falta de água no organismo gera confusão mental em até quadros mais agudos. O que também já foi comprovado é que pessoas que sofrem com demência se desidratam com mais frequência.

Algo que ainda está sendo estudado é se o consumo contínuo de líquidos pode melhorar as funções cognitivas.

Problemas no metabolismo

Ao não tomar água com uma frequência razoável se abre espaço também para um prejuízo no sistema metabólico. Tendo em vista que a falta de água ativa enzimas como o anti-diurético e que dão sinais de sede. A desidratação contínua pode desregular a atividade dessas enzimas, desencadeando efeitos nocivos ao metabolismo.

Continua depois da publicidade

Além disso, estudos apontam que a água reduz o risco de obesidade. Isto pois a simples presença desse componente ajuda a queimar mais calorias. Já para os diabéticos, a falta de água gera uma maior concentração de açúcar no sangue e aumentando os níveis de glicemia.

A desidratação é um dos casos mais difíceis de perceber. Por isso, muita gente está sofrendo com isso e nem percebe. Os sintomas mais conhecidos são sede e urina com cor mais escura. Mas não é só isso, cada organismo tem suas características e alerta do seu jeito. Veja outros sinais que o seu corpo pode dar de que está sem água:

  • Cansaço;
  • Pele e boca seca;
  • Urina menos frequente;
  • Dor de cabeça;
  • Tontura;
  • Respiração acelerada;
  • Palpitação.

Continua depois da publicidade

Contudo, vale ressaltar que alguns desses sintomas são comuns em diversos outros problemas de saúde. Se forem sinais frequentes, busque um especialista.

Qual é a quantidade ideal de água para beber por dia?

Já sabemos todos os efeitos da falta de hidratação no seu corpo e como notar os sinais que o corpo dá. Mas qual a quantidade de água que devemos consumir diariamente? Especialistas apontam que o ideal é cerca de 30 ml para cada quilo do corpo. Por exemplo, uma pessoa com 70 kg deve beber cerca de 2,1 litros.

Entretanto, ninguém quer ficar fazendo contas para saber se está consumindo a quantidade correta. Então temos uma recomendação mais fácil de seguir. No caso das mulheres indica-se 8 copos de água de 250 ml por dia, em caso de gestantes ou lactantes devem tomar um copo a mais. Ao passo que os homens adultos devem consumir 10 copos por dia.

Continua depois da publicidade

Leia também

As substâncias tóxicas e perigosas que estão dentro de casa

É por isso que devemos retirar anéis e alianças antes de correr

Destaques do NSC Total