nsc
    dc

    HENRIQUE BILBAO

    Como um chatbot ajuda no marketing de conteúdo?

    Casas Bahia, Uber, Disney, eBay e Pizza Hut são exemplos de empresas que usam essa ferramenta para aumentar a relevância da marca

    19/11/2020 - 12h00

    Compartilhe

    Por Tech SC
    Robô e humando se relacionam com o cliente
    Chatbot pode ajudar na geração de leads, relacionamento, venda e pós-venda
    (Foto: )
    Assinatura Colunista
    (Foto: )

    Já falamos aqui sobre as inúmeras possibilidades de otimizar e alavancar os resultados do seu negócio através da inteligência artificial, mais especificamente com os chatbots. Seja para reter através do robô o atendimento de dúvidas simples, que não precisam do auxílio humano, ou até mesmo para criar estratégias de gerenciamento de leads com um bom fluxo de conversa elaborado, esta ferramenta está presente hoje na maioria das empresas que buscam pela transformação digital do seu negócio.

    > Quer receber notícias por WhatsApp? Inscreva-se aqui

    > Café de balcão voltado para a rua tem “match” na pandemia

    Casas Bahia, Uber, Disney, eBay, Pizza Hut e muitas outras grandes marcas impulsionaram seus resultados de alguma forma através dos chatbots, o que nos leva a perceber o quanto a inteligência artificial pode ser utilizada em diversos segmentos do mercado. Porém, ver o nome destas grandes marcas pode te fazer acreditar que chatbots não são para negócios menores. Este é um erro comum, pois existem muitas formas de fazer uso dos bots em instituições de menor porte.

    Hoje falaremos especificamente sobre como podemos aplicar a funcionalidade dos chatbots em estratégias de marketing de conteúdo. Mas antes, você sabe o que é o marketing de conteúdo?

    Em linhas gerais, o marketing de conteúdo é uma estratégica de comunicação focada no desenvolvimento e distribuição de conteúdos relevantes, também conhecidos como "conteúdo rico" como, por exemplo, ebooks, artigos em blog, vídeos e dicas nas redes sociais. Essa abordagem busca não promover a marca em si, de forma explícita, mas criar relevância em algum assunto que faça sentido com as necessidades do seu público-alvo, de modo que você (a empresa) busque ajudar seu cliente a solucionar problemas reais na vida dele e, consequentemente, faz com que ele veja a sua marca como uma autoridade no assunto e busque entender melhor como você pode auxiliá-lo a passar por alguns desafios. Ou seja, o marketing de conteúdo não é sobre o que sua empresa faz, mas sobre o que seus clientes precisam.

    Mas como integrar ele à ferramenta de chatbot? Bom, o assunto é amplo e podemos abordar melhor ao longo dos próximos artigos por aqui (inclusive se você tiver alguma dúvida mais específica sobre, deixe nos comentários que será um prazer te responder em um próximo texto). Mas, podemos considerar que os chatbots abriram uma nova possibilidade de se comunicar com o seu cliente e isso tem tudo haver com a criação e divulgação de conteúdos que ajudem ele.

    Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, acredita que os chatbots são o futuro do relacionamento com o cliente e, resumiu um pouco do seu sentimento sobre esta tecnologia da seguinte forma: “Você deveria enviar uma mensagem para uma empresa do mesmo jeito que envia para um amigo. Você deve ter uma resposta rápida e isso não deve exigir sua atenção total, como uma ligação telefônica exige. E você não deveria ter que instalar um novo aplicativo”.

    > Campanha oferece mentoria grátis de venda e marketing em SC

    Embora tenha uma função muito específica ao falarmos de onde ele pode ser aplicado (chat em lojas virtuais, App, SMS, Messenger do Facebook, WhatsApp, e por aí vai), chatbots não são apenas uma inovação de canal de atendimento. Através dele é possível inovar também na própria estratégia de divulgação do conteúdo. A medida em que o seu relacionamento se desenvolve com o seu cliente, o bot pode ser programado para aprender quais conteúdos mais geram interesse em cada um dos usuários e divulgar estes materiais dentro de uma régua definida para tal, além de até falar de uma forma mais personalizada com determinado usuário de acordo com o envolvimento dele com algum determinado conteúdo e com a sua marca.

    E isso pode ser aplicado para todas as fases do seu funil: geração de leads, relacionamento, venda e pós-venda. O importante aqui é manter a relevância, se preocupando sempre com o tom de voz da sua marca e como você está ajudando efetivamente o seu cliente e as suas dores.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas