nsc
dc

Veja a lista por região

Confira quais os serviços afetados pela paralisação dos caminhoneiros em SC

Transporte rodoviário não ocorre há duas semanas e serviços como transporte coletivo, fornecimento de gás de cozinha e combustível seguem afetados 

28/05/2018 - 04h05 - Atualizada em: 28/05/2018 - 17h46

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

A greve dos caminhoneiros entra na segunda semana e diversos serviços, como transporte público, coleta de lixo e aulas das redes de ensino municipal e estadual, seguem prejudicados em Santa Catarina. Apesar de ao menos 40 pontos de bloqueio terem sido liberados nas rodovias federais e estaduais do Estado entre a noite de domingo e manhã desta segunda-feira, outros 134 trechos seguiam bloqueados para veículos de carga, como na BR-101 em Garuva, Joinville, Araquari, Itajaí e Palhoça.

Além disso, há o prejuízo no abastecimento nos supermercados, que já registram falta de produtos básicos como pão, arroz, ovos, carne e até papel higiênico. A dificuldade com a reposição dos produtos perecíveis deve se estender na próxima semana para mercadorias da área da padaria, já que há falta de trigo e problema no abastecimento do gás de cozinha. Outras mercadorias que podem ter problemas nas próximas 48 horas são massa, farinha e azeite.

Outro item que começou a desaparecer dos estoques dos fornecedores é o gás de cozinha. O desabastecimento do produto é generalizada e atinge todas as regiões do Estado, já que os caminhões que trazem o produto de Itajaí, Paraná e Rio Grande do Sul não estão circulando. Após o término da greve, a normalização da oferta do gás de cozinha ainda deve demorar alguns dias.

Veja abaixo a situação em cada região do Estado:

GRANDE FLORIANÓPOLIS

Transporte coletivo: nesta terça-feira os ônibus deveriam circular em Florianópolis seguindo a tabela de horários de sábado, porém, por conta de uma assembleia convocada pelo Sintraturb para às 8h30min, os ônibus vão parar de circular a partir das 8h. Segundo a prefeitura, 70% da frota está nas ruas e ainda são estudados ônibus extras conforme a demanda, além das linhas escolares. Em negociação pela liberação de mais combustível, a prefeitura da Capital afirma que tem como abastecer a frota até terça-feira à noite.

Nesta segunda-feira os horários também foram os de sábado. Os ônibus circularam cheios e no Terminal Integrado do Centro (Ticen) o movimento foi intenso pela manhã, principalmente pelo aumento de pessoas que estão sem combustível em seus carros e precisaram do transporte coletivo para chegar ao trabalho. Alguns moradores também reclamam da lotação dos ônibus e que eles não estão parando nos pontos.

O mesmo ocorreu em Palhoça, São José e Biguaçu. As linhas executivas (amarelinho) do Consórcio Fênix não estão funcionando.

Combustível: Fechado pelo Procon na semana passada, um posto no Centro da Capital reabriu para abastecimento na manhã desta segunda-feira. Por volta das 7h30min a fila de carros no local já alcançava quase um quilômetro. O abastecimento é limitado a R$ 100 por veículo e não será realizado para pessoas que chegarem ao local com galão. Não há informação sobre outros postos que tenham recebido combustível na região.

Supermercados: Sem abastecimento há praticamente uma semana, produtos básicos como pão, arroz, ovos e até papel higiênico estão desaparecendo das prateleiras de alguns supermercados de Florianópolis. E as gôndolas vazias têm assustado tanto os clientes quanto os gerentes dos locais. A Associação Catarinense de Supermercados Acats (Acats) considera a situação preocupante, já que não tem expectativa de como resolver a necessidade do consumidor, mas que ainda não é alarmante.

Abastecimento de água: A Casan informou que os produtos químicos para tratamento de água chegaram às estações de abastecimento e que o abastecimento está normalizado e não corre riscos por enquanto.

Aeroporto: O comboio de cinco carretas carregadas com querosene para aviões teve escolta da Polícia Militar para garantir o transporte até o Aeroporto Hercílio Luz. Dessa forma, a operação deve ocorrer sem limitações até a quarta-feira de manhã.

Educação: as aulas na rede municipal de ensino de Florianópolis estão suspensas nesta terça-feira por conta do anúncio de uma possível paralisação do transporte público. Nesta segunda-feira 26 das 36 escolas estão atendendo normalmente. As outras 10 unidades operam com dificuldades, segundo a prefeitura, como os horários do transporte coletivo.

Nas unidades de educação infantil, das 88 unidades apenas três estão sem atendimento. Outras 28 funcionam sem restrições e 57 apesar de estarem operando, registram algum tipo de dificuldade, como falta de gás e de itens do hortifruti, além também dos atrasos por conta dos horários reduzidos do ônibus. Até esta segunda-feira todas as unidades estavam recebendo pão e itens de hortifruti e granjeiros normalmente. As carnes devem chegar, exceto frangos, informou a prefeitura. A prefeitura de Florianópolis também informou, por nota, que busca uma alternativa para a falta de gás.

A orientação para a rede municipal de Florianópolis é que as aulas sejam mantidas enquanto houver transporte público. Apesar disso, não devem ser realizadas atividades avaliativas e o conteúdo deve ser reforçado após o encerramento da greve, já que muitos alunos não estão conseguindo chegar às escolas. As aulas das escolas municipais de São José também estão normais, enquanto em Biguaçu e Palhoça houve suspensão.

O atendimento é normal também nas escolas estaduais, apesar de ao menos três centros de ensino estarem fechados nesta segunda. Já no ensino superior, a UFSC, a Udesc e o IFSC não tem aulas nesta segunda-feira. No caso da UFSC, a suspensão já está confirmada até sexta-feira. A Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) também suspendeu as aulas de até o dia 4 de junho nos campi de Florianópolis e Pedra Branca, em Palhoça. O mesmo ocorre nas unidades vinculadas e Colégio Dehon.

Coleta de lixo: A coleta normal ocorre em todas as regiões de Florianópolis sem restrições e, conforme a prefeitura, deve seguir assim pelo resto da semana. Em São José e Palhoça o serviço deve ocorrer com restrições.

Saúde: O atendimento nas 49 unidade de saúde e nas duas UPAs de Florianópolis ocorreu normalmente nesta segunda-feira e, conforme a prefeitura, deve seguir no restante da semana. O município teria conseguido negociar a liberação de combustível para abastecer todos os veículos da saúde e, com isso, o serviço não precisou ser suspenso.

Mesmo para quem têm consultas ou exames agendados o atendimento é normal. Apesar disso, em caso de dúvida ou cancelamento, a orientação é entrar em contato com o estabelecimento antes de se deslocar. Já as cirurgias eletivas nos hospitais estaduais seguem suspensas.

A direção do Hospital Universitário informou que seguem suspensas as cirurgias eletivas e os exames ambulatoriais. Na terça-feira irão reavaliar se mantém as consultas do ambulatório.

NORTE

Bloqueios: o número de pontos com paralisação na região Norte subiu para 27 nesta manhã, sendo 24 nas rodovias federais e três em estradas estaduais. Os dois pontos de maiores concentração da greve no Norte ocorrem no km 21 da BR-280, no posto Sinuelo, e no km 25 da BR-101, no posto Rudnick.

Educação: as aulas da rede municipal de Joinville serão mantidas até quarta-feira. Quinta é feriado e sexta não há atendimento devido ao ponto facultativo. Nesta segunda-feira, 6.430 alunos faltaram às aulas no período da manhã em escolas e centros de educação infantil. Também haverá adaptações no cardápio das merendas nesta semana por causa da restrição da entrega de hortifrutigranjeiros. Em São Francisco do Sul as aulas estão suspensas nesta terça-feira. Uma nova deliberação será feita nesta terça para definir como ficarão as aulas na quarta-feira.

No ensino superior, não haverá aula na faculdade Ielusc, UFSC em Joinville, Unisociesc e na Faculdade Cenecista de Joinville. Já na Udesc Joinville as aulas voltam ao normal nesta terça e quarta-feira, informou a instituição de ensino por nota. Durante esse dois dias haverá, conforme a administração da Udesc, o horário dos alunos que tiverem dificuldade em se locomover será flexibilizado.

Transporte público: em Joinville algumas linhas de transporte coletivo poderão sofrer alterações nos horários de menor fluxo. Será priorizado o atendimento nos horários de maior demanda de passageiros (início da manhã, meio-dia e final da tarde) e, nos outros horários, haverá ampliação do tempo de saída dos terminais e estações. Os veículos que não tiverem um número médio de passageiros só sairão dos terminais depois que houver mais passageiros.

Saúde: as cirurgias eletivas do Hospital Municipal São José foram canceladas. Já os serviços nas unidades básicas de saúde continuam normalizados até quarta-feira em Joinville. Os Pronto Atendimentos (PA Norte, Sul e Leste) continuam atendendo normalmente, priorizando os casos mais urgentes.

Água: a Companhia de Águas de Joinville mantém o atendimento normalizados no tratamento de água nas estações. Será avaliada a necessidade de solicitação de apoio de comboio para a coleta de insumos necessários para a manutenção do serviço.

Coleta de lixo: O serviço de coleta de lixo mantém o atendimento normalizado até quarta-feira.

Aeroporto: Assim como em Florianópolis, um comboio foi feito para garantir a entrega de combustível no aeroporto de Joinville. Assim, a operação ocorre sem limitações até a quarta-feira de manhã.

Combustível: com restrição no fornecimento à população, a Prefeitura de Joinville solicitou escolta da Polícia Militar para a coleta e transporte de combustível ou insumos necessários aos abastecimentos prioritários. Nenhum posto em Joinville possui combustível.

O Sindipetro-SC classificou a situação como crítica na cidade. Ainda nesta segunda-feira, a esperança era ainda de que ao menos uma unidade recebesse a carga, mas até o fim do dia isso ainda não tinha ocorrido. As primeiras cargas liberadas da BR Distribuidora, da Petrobras, em Guaramirim, devem ser destinadas aos serviços essenciais, como saúde, segurança, transporte coletivo e indústrias. Os postos serão os últimos a receber.

No início da tarde de segunda-feira, cinco caminhões saíram para Joinville com destino às empresas do transporte coletivo e dois para São Francisco do Sul. Um posto da zona Sul também recebeu combustível para abastecer apenas viaturas da polícia.

Indústrias: Por conta da greve, a Whirlpool concedeu férias coletivas para seus funcionários.

VALE DO ITAJAÍ

Transporte Coletivo: em Blumenau os ônibus seguem operando com horários diferenciados na terça-feira. A tabela especial foi dividida em cinco períodos. Haverá transporte entre 3h40min/4h30min; 6h/8h; 11h/14h; 17h/19h; e 21h30min/22h45min. A dificuldade no transporte coletivo no muncípio pode ficar mais crítica a partir de quarta-feira.

A Blumob, empresa que opera o serviço, tem cerca de 2 mil litros de combustível em estoque, mas para fazer o transporte público em caráter emergencial _ como está ocorrendo desde o último dia 24. No entanto, são necessários cerca de 8,5 mil litros de diesel. Sem conseguir receber o óleo desde a última semana, o transporte coletivo pode ser forçado a paralisar as atividades. Nesta segunda-feira os ônibus circularam apenas nos horários de pico e o movimento de pessoas e carros nas ruas diminuiu.

Em Brusque o serviço ocorre de forma normal. Já em Indaial o serviço também sofreu alterações em alguns horários, com o intuito de manter o sistema operando até quarta-feira. As mudanças priorizam os horários de transporte dos trabalhadores e estudantes. Com isso, não haverá transporte coletivo nos seguintes períodos: das 8h às 11h, das 15h às 17h e das 18h30min às 21h.

Em Rio do Sul 34 horários foram cancelados. Em Indaial o transporte público não irá operar das 8h às 11h30min, das 15h às 17h e das 18h30min às 21h nesta terça e quarta-feira. Já a Auto Viação Rainha cancelou cinco horários da linha entre Blumenau e Indaial (10h, 12h, 17h20min, 20h10min e 22h) e outros cinco entre Indaial e Blumenau (9h, 11h, 14h10min, 15h30min e 19h30min).

Em Pomerode 15 horários entre Pomerode e Blumenau foram cancelados para esta terça e quarta-feira. Na quinta-feira não haverá operação na cidade. Em Gaspar a Coletivo Caturani, responsável pelo transporte coletivo na cidade, opera em horário normal. A Viação Verde Vale, que opera linhas intermunicipais entre Ilhota, Gaspar e Blumenau, manterá os horários da tabela especial divulgada pela empresa no fim da semana passada.

Educação: em Blumenau as aulas estão mantidas na rede municipal de ensino, porém, não serão aplicadas provas nesse período de paralisação dos caminhoneiros. Os polos de Blumenau da Uniasselvi e UniSociesc cancelaram as aulas. Na Furb as aulas que já haviam sido suspensas na segunda-feira seguem suspensas na terça e quarta-feira. A medida vale para todas as atividades acadêmicas na instituição.

Em Brusque também não há definição sobre as aulas. Em Rio do Sul as aulas serão mantidas nesta terça-feira na rede municipal. Já na Unidavi, os cursos de graduação e pós-graduação tiveram aulas canceladas. Em Indaial, aulas na rede municipal estão mantidas nesta terça-feira. O polo da Uniasselvi na cidade cancelou as aulas. Em Pomerode, Gaspar e Timbó as aulas, a princípio, estão mantidas.

Saúde: em Blumenau, os ambulatórios gerais (AGs) da Velha, Garcia e Itoupava Central atendem até as 22h nesta terça-feira. As unidades da Escola Agrícola, Badenfurt e Centro funcionam até 21h. As estratégias de saúde da família (ESFs), atendem normalmente nesta terça-feira.

Em Brusque, até a tarde desta segunda-feira, ainda não havia confirmação sobre o funcionamento dos serviços na rede pública municipal. Em Rio do Sul as unidades funcionam normalmente, inclusive a Policlínica e a UPA 24h. O Hospital Samária tem materiais para operar por mais 15 dias e o Hospital Regional suspendeu as cirurgias eletivas até o fim da greve.

Em Indaial o Hospital Beatriz Ramos cancelou cirurgias eletivas e internações e atende apenas casos de urgência e emergência. O Serviço de Atendimento Integral à Saúde (Sais) funciona normalmente. Em Pomerode os postinhos permanecem abertos em horário normal, das 7h às 11h30min, e das 13h às 17h. O mesmo ocorre em Timbó.

Já em Gaspar ficam mantidos os atendimentos de urgência e emergência através do Pronto Socorro em regime de 24 horas. Estão suspensas as cirurgias e exames eletivos, procedimentos e internações que não sejam de caráter de urgência e emergência até a regularização do fornecimento de insumos, materiais e medicamentos.

Supermercados: se na semana passada os primeiros reflexos ocorreram nas áreas de frutas de verduras, agora produtos como carne, leite e feijão também estão em falta nas prateleiras dos supermercados de Blumenau. Muitos comércios estão limitando a compra por clientes dependendo dos produtos.

Água e coleta de lixo: o Samae informou que abastecimento de água segue normal nos próximos dias. O mesmo acontece com a coleta de lixo, tanto a seletiva quanto a convencional.

Combustível: A região está sem combustível para a população desde sexta-feira, de forma que o abastecimento segue restrito para viaturas de Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

LITORAL NORTE

Educação: em Itajaí as aulas estão mantidas com o fornecimento de merendas escolares até amanhã, véspera de feriado, inclusive com o transporte escolar. Atividades externas em que haveria o transporte de estudantes foram adiadas. A Univali confirmou ontem que não haverá na terça e quarta-feira. Em Balneário Camboriú as aulas na rede municipal foram canceladas na terça e quarta-feira. Dificuldade de locomoção dos funcionários das unidades e falta de verduras e frutas para os estudantes foi o que motivou a decisão.

Aeroporto: o aeroporto de Navegantes também recebeu combustível nesta madrugada e agora pode operar sem limitações até a quarta-feira de manhã.

Transporte coletivo: assim com ocorreu nesta segunda, na terça-feira o serviço ocorre normalmente em Itajaí. Em Balneário Camboriú o serviço segue ao longo da semana, porém com horário de domingo. Nesta segunda-feira a empresa que opera o serviço na cidade conseguiu reabastecer os veículos.

Saúde: em Itajaí as cirurgias eletivas e consultas estão suspensas nos hospitais e serão priorizados atendimentos de urgência e emergência. As unidades de saúde estarão abertas em horário normal. Já em Balneário Camboriú as unidades de saúde permanecem abertas até as 18h. O Hospital Ruth Cardoso cancelou as cirurgias eletivas, com prioridade para atendimentos de urgência e emergência. A alimentação no hospital, porém, é dada apenas a pacientes e acompanhantes de crianças. No Hospital municipal Ruth Cardoso, as cirurgias eletivas foram suspensas temporariamente. As consultas ambulatoriais e tratamentos fora do domicílio também estão canceladas. Serão mantidas somente para pacientes que fazem tratamento oncológico e diálise.

Água e coleta de lixo: o abastecimento de água está operando normalmente em Itajaí. A coleta de lixo está mantida até quarta-feira, depois disso pode sofrer alterações por conta da escassez de combustível. Em Balneário Camboriú, o fornecimento de água também segue normalmente nesta terça-feira. A coleta de lixo ocorre sem interrupções nesta terça, mas caso a greve continue, a partir de quarta-feira o serviço será reduzido.

Combustível: a região está sem gasolina, diesel e etanol nos postos de combustível.

OESTE

Agroindústria: As empresas do setor alimentício conseguiram um acordo com os manifestantes para liberar o transporte de ração para animais. Os caminhões carregados com o produto recebem um adesivo e podem circular normalmente entre os bloqueios das 6h da manhã às 6h da tarde. Apesar disso, o serviço continua prejudicado.

Transporte público: após um domingo sem ônibus em Chapecó, os veículos operaram nesta segunda-feira com horário reduzido, priorizando os momentos de maior movimento. Nesta terça-feira os serviços devem operar com normalidade, mas com redução no número de viagens com destino aos frigoríficos e universidades. Haverá redução das viagens nos horários de menor pico (9h às 11h, 14h às 17h e madrugada).

Já a operação do transporte escolar no interior tiveram algumas alterações. Ao todo, são 41 linhas que circulam pelo interior e atendem 1,3 mil alunos. Nesta terça-feira as empresas que operam nas Linhas Esperoto, Faxinal dos Rosas, Sede Trentin, Pequena, Campinas e Cachoeira não disponibilizarão o serviço para cerca de 300 alunos. Os educandos terão suas faltas justificadas e o conteúdo de sala de aula será reposto em outra oportunidade.

Educação: em Chapecó as aulas e alimentação operam com normalidade até esta quarta-feira. No entanto, os alunos que não puderem chegar até as unidades de ensino terão as faltas justificadas. No ensino superior, as aulas e as atividades acadêmicas da Unochapecó seguem suspensas nesta terça e quarta-feira. Até o dia 3 de junho, um novo comunicado será emitido para informar sobre as aulas da próxima semana. A universidade já havia programado o feriado prolongado na quinta e sexta-feira. Na Unoesc as aulas da graduação e pós-graduação foram canceladas pelo resto da semana. Por nota, a unidade informou que deve fazer um novo aviso no sábado para informar sobre as aulas na próxima semana. As atividades administrativas seguem normalmente.

Coleta de lixo: o serviço estava interrompido em Chapecó, com recolhimento apenas em pontos críticos. Mas conforme boletim da prefeitura, atualizado no fim da tarde desta segunda-feira, a coleta feita por uma empresa terceirizada ocorre normalmente nesta terça-feira.

Combustível: o fornecimento à população de Chapecó continua restrito, com reserva apenas para veículos das forças de segurança e saúde.

Saúde: em Chapecó os serviços nas unidades de saúde operam com normalidade nesta terça-feira. A Farmácia Central segue com atendimento, mas já há falta de 80 medicamentos, informou a prefeitura. Além disso, foram suspensos os serviços de atendimento domiciliar como o Programa Saúde em Casa. Foi cancelado também o transporte de pacientes que necessitam tratamento fora de domicilio.

SERRA

Educação: em Lages a suspensão das aulas da rede municipal foi estendida para terça e quarta-feira. Em uma reunião na tarde desta segunda-feira, os prefeitos que fazem parte da Associação dos Municípios da Região Serrana (Anita Garibaldi, Bocaina do Sul, Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, Campo Belo do Sul, Capão Alto, Cerro Negro, Correia Pinto, Lages, Otacílio Costa, Painel, Palmeira, Ponte Alta, Rio Rufino, São Joaquim, São José do Cerrito, Urubici e Urupema) decidiram suspender as aulas e o transporte escolar nessas cidades até sexta-feira, quando um novo encontro deve ocorrer para definir como serão as aulas na próxima semana, caso a paralisação dos caminhoneiros persista.

Nesta segunda, das 44 escolas estaduais da região, 18 estão sem aulas nesta segunda. Há problemas com transporte público, gás de cozinha e merenda escolar. Na rede estadual de ensino as aulas também estarão suspensas na terça e na quarta-feira. Por conta do feriado, o retorno das aulas nas redes municipal e estadual será na próxima segunda-feira, dia 4 de junho. A Uniplac também está sem aulas.

Saúde: Uma operação especial da Defesa Civil de Lages viabilizou o transporte de uma carga de 1,5 mil quilos de gás de cozinha para o Hospital Nossa Senhora dos Prazeres, que deve manter a normalidade por uma semana.

Transporte coletivo: a partir de quarta-feira os ônibus operam com restrição de horários em Lages. Nos horários de pico haverá transporte normal, e nos demais haverá ônibus de hora em hora. Nesta terça-feira o serviço opera normalmente, sem restrições. Já sobre os horário da Festa do Pinhão, estão mantitos os horário de meia em meia hora até meia-noite.

Coleta de lixo: O serviço também deve operar sem restrições até quarta-feira.

Festa do Pinhão: O evento ocorreu normalmente nesse fim de semana, apesar do público abaixo do esperando pela organização. As atrações nacionais seguem confirmadas para os próximos dias, com risco apenas de atraso no horário dos shows.

Combustível: Postos estão sem combustível na região desde sábado.

SUL

Educação: em Criciúma as aulas devem ocorrer normalmente nesta terça-feira. Deve haver aula normal até quarta-feira, conforme a prefeitura já havia informado no último domingo. No domingo eles avaliaram em Criciúma que haveria gasolina tranquilo até quarta pra educação. Em Içara as aulas também estão mantidas. Em Laguna e Tubarão as aulas foram suspensas.

Na segunda-feira, ao menos 16 escolas da rede estadual no Sul tiveram as aulas suspensas para esta segunda-feira, sendo 10 em Criciúma, 4 em Araranguá, 1 em Tubarão e 1 em Laguna. Na rede municipal estão suspensas as aulas desta segunda-feira em Laguna, Tubarão, Braço do Norte, Lauro Müller e Maracajá.

Quanto ao ensino superior, UFSC, Unesc, Satc, Unisul e Esucri também suspenderam as aulas de segunda-feira, assim como unidades do IFSC na região.

Saúde: Os principais hospitais da região estão atendendo apenas no pronto-socorro e pacientes já internados. As cirurgias eletivas foram adiadas, seguindo orientação da Secretaria de Estado de Saúde.

Transporte público: os ônibus seguem circulando em horário especial em Criciúma. A prefeitura divulgou uma tabela nesta segunda-feira à tarde, prevendo como o serviço vai ocorrer até quarta-feira. Na quinta, por ser feriado, não haverá transporte coletivo. Já na terça e quarta-feira os ônibus circulam nos horários de pico: 6h30/8h30; 11h30/13h30; 16h30/ 19h. No terminal central as linhas interbairros e amarelinho saí às 22h45min. Já nos terminais Pinheirinho e Próspera o amarelinho sai 22h30min e o interbairros às 23h.

Supermercados: os comércios na região Sul também enfrentam os problemas causados pela paralisação nacional dos transportes, com a falta de produtos perecíveis e os itens de mercearia. Em Criciúma, o movimento nos supermercados é aliviado porque há poucas linhas de transporte coletivo em operação .

Combustível: A região também está sem combustível e o atendimento é restrito aos veículos oficiais.

Colunistas