Bambi é o nome da cerva encontrada por moradores no Médio Vale do Itajaí. Ela é uma fêmea, pesa 2,6 kg e tem cerca de um mês de vida. Quando encontrado, o bichinho foi para uma clínica veterinária de Brusque para receber os primeiros cuidados.

Continua depois da publicidade

> Receba notícias de Blumenau e do Vale por WhatsApp. Clique aqui e entre no grupo do Santa

O filhote chegou ao Hospital Escola Veterinário da Furb, em Blumenau, que possui convênio com a Polícia Militar Ambiental (PMA) e o município para atendimento de animais silvestres no dia 21 de janeiro. Ela continua no local e está em tratamento pelo Serviço de Atendimento aos Animais Silvestres de Blumenau (SAASBlu). Conforme o SAASBlu, Bambi foi resgatada na região de Doutor Pedrinho após ligação de moradores. 

O professor de Medicina Veterinária da Furb, Júlio César de Souza Júnior, que coordena o SAASBlu, explica que esses animais são relativamente comuns na região do Vale do Itajaí, e estão ameaçados de extinção, principalmente por conta da caça. Apesar disso, Bambi não apresentava ferimentos quando foi resgatada.

— Ela chegou bem, sem machucados, mama leite cinco vezes por dia, e já come um pouco de vegetais — conta o veterinário.

Continua depois da publicidade

Ele esclarece que por ser muito pequena ainda não é possível saber a espécie do animal, apenas um exame genético identificaria com precisão. Mas é provável que seja das espécies mazama bororo ou mazama nana, duas comuns na região.

Júlio César orienta que quem encontrar um animal como esses não deve tentar capturar ou alimentar. Deve-se prender os cães da residência e entrar em contato com a Polícia Militar Ambiental.

> Dois filhotes de cervo-dama nascem no zoológico de Balneário Camboriú; veja fotos

O futuro de Bambi

De acordo com o veterinário responsável, o animal é muito pequeno e isso faz com que a soltura à natureza seja arriscada, já que o filhote não teve nenhum aprendizado com os pais na floresta para alimentação e sobrevivência.

Bambi deve ser encaminhada primeiramente para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Florianópolis, que reintroduz animais silvestres no meio ambiente, onde será avaliado se ela tem condições de voltar para a natureza.

Continua depois da publicidade

Caso o Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), que gerencia o Cetas, considere que o filhote não pode voltar à natureza, há a possibilidade de ser encaminhado para o Núcleo de Pesquisa e Conservação de Cervídeos (Nupecce), onde é feito um trabalho de preservação da espécie.

Veja fotos e vídeo

Bambi
Bambi ganhou peso desde que foi resgatada (Foto: Júlio César de Souza Júnior)
Bambi
Bambi (Foto: Júlio César de Souza Júnior)

*Estagiária sob supervisão de Bianca Bertoli.

Destaques do NSC Total