nsc
dc

CHEGOU NO BRASIL

Conheça o filtro solar que ajuda a evitar queimadura de águas-vivas e caravelas

Produto israelense inibe o contato da pele com as toxinas presente nos tentáculos dos organismos marítimos

10/01/2020 - 10h13 - Atualizada em: 17/02/2020 - 21h17

Compartilhe

Clarissa
Por Clarissa Battistella
São toxinas nos tentáculos de caravelas e águas-vivas que causam as queimaduras
São toxinas nos tentáculos de caravelas e águas-vivas que causam as queimaduras
(Foto: )

Um problema enfrentado todos os anos no Litoral catarinense, volta a atormentar os banhistas neste verão. Até o dia 8 de janeiro, as lesões causadas por águas-vivas já tinham ultrapassado a marca de 21 mil ocorrências, nas praias de SC, segundo o Corpo de Bombeiros Militar. São mais de 800 pessoas feridas diariamente, através do contato com os organismos, em menos de 30 dias.

O que muitas pessoas ainda não sabem — porque até pouco tempo a única maneira de evitar o envenenamento por água-viva ou caravela era ficar longe do mar nos dias em que os animais estão próximo da costa — é que um produto criado em Israel há 20 anos, para servir de repelente contra esses animais marítimos, chegou ao Brasil .

Em Santa Catarina, o Safe Sea está disponível nas grandes redes de farmácia, por valores que se aproximam de R$ 70,00 para cada tubo de 100 ml. Livre de conservantes e com protetor fator 50, o creme protege do sol ao mesmo tempo em que age para inibir a intoxicação por águas-vivas.

Segundo o site do laboratório onde a fórmula foi elaborada, o creme cria uma camada sobre a pele que desliza os tentáculos das águas-vivas, no primeiro momento. Em seguida, lança substâncias que "enganam" alguns sistemas do organismo, fazendo com que ele reaja ao toque como se estivesse em contato com outra água-viva, e não à pele.

Há nove anos atuando como dermatologista, Mariana Sens disse que ainda não testou o repelente, justamente por se tratar de novidade no mercado, mas que deve recomendar aos seus pacientes assim que conhecer sua eficiência:

— Ele está chegando agora e já há relatos de que funciona. Será um recurso interessante para pacientes que moram no litoral ou que vão viajar para regiões com águas vivas.

A dermatologista ainda orienta às pessoas que vão adquirir o Safe Sea pela primeira vez, que utilizem o creme conforme se indica no rótulo, para garantir o efeito positivo.

Repelente
(Foto: )

Como aplicar

— O creme deve ser aplicado 15 minutos antes da exposição do sol ou do mar.

— Reaplicar a cada 120 minutos ou 80 minutos na água.

— Não precisa exagerar: se indica 1 colher de sopa para o tamanho de dois braços.

Cuidados

Depois que o contato aconteceu, algumas dicas ajudam para aliviar a dor. Confira as dicas dos Bombeiros e da dermatologista:

— Observar a presença da bandeira lilás.

— Se afastar dos animais marítimos, assim que perceber a sua presença.

— Avisar guarda-vidas.

— Não coçar ou esfregar o local machucado.

— Não usar água doce para limpar a região queimada, para evitar que a toxina se espalhe.

— Lavar com água do mar.

— Tirar os tentáculos com cuidado, usando uma pinça

— Procurar um posto de guardas-vidas.

— Aplicar vinagre de uso doméstico na zona afetada.

— Fazer compressa com água salgada para aliviar a dor.

— Caso a pessoa desenvolva uma reação mais grave e contínua, deve ser procurar imediatamente uma unidade hospitalar para devido tratamento.

Colunistas