nsc
dc

Gostoso e saudável

Consumidores de café têm menos probabilidade de morrer de diabetes e de doenças cardíacas, diz estudo

Pesquisa comparou quem consumia pouco e muito café

16/11/2015 - 16h19 - Atualizada em: 17/11/2015 - 16h32

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

Pessoas que relatam beber entre três e cinco xícaras de café ao dia têm menor propensão a morrer prematuramente de doenças cardíacas, suicídio, diabetes ou mal de Parkinson - é o que revelou uma pesquisa norte-americana nesta segunda-feira.

Tanto o café comum quanto o descafeinado aparecem como benéficos, disseram os pesquisadores da Chan School de Saúde Pública da Universidade de Harvard em estudo publicado na revista especializada Circulation.

Pesquisa desvenda segredo surpreendente do café contra o sono

A pesquisa comparou as pessoas que não consomem a bebida, ou beberam menos de duas xícaras por dia, com aquelas que relataram valores moderados de café, ou até cinco xícaras diárias.

O estudo não prova relação de causa e efeito entre o café e a probabilidade reduzida de certas doenças, mas descobriu uma aparente ligação que se alinha com a pesquisa anterior, e que os cientistas disseram que ainda investigarão mais.

Cinco xícaras de café por dia podem prevenir Parkinson e câncer de fígado

- Componentes bioativos presentes no café reduzem a resistência à insulina e a inflamação sistemática. Isso poderia explicar alguns dos nossos resultados. No entanto, mais estudos são necessários para investigar os mecanismos biológicos que produzem esses efeitos - disse a principal autora do estudo, Ming Ding, doutoranda do departamento de Nutrição.

Nenhum efeito protetor contra o câncer foi encontrado na investigação. Algumas pesquisas anteriores já apontavam para uma ligação entre o consumo de café e um menor risco de certos tipos de câncer.

Novos estudos mostram que café pode ajudar a combater o câncer de mama

A pesquisa foi baseada em dados recolhidos a partir de três grandes questionários incluindo cerca de 300 mil enfermeiros e outros profissionais de saúde que concordaram em responder sobre suas próprias condições médicas e hábitos em intervalos regulares ao longo de 30 anos.

"Em toda a população invetigada, o consumo moderado de café foi associado à redução do risco de morte por doença cardiovascular, diabetes, doenças neurológicas como a doença de Parkinson, e o suicídio", afirma o estudo.

Beber café diariamente pode evitar volta do câncer de cólon, diz estudo

Os pesquisadores também apontaram como potenciais fatores de confusão o tabagismo, índice de massa corporal, atividade física, consumo de álcool e dieta. Mas o fato de que a pesquisa baseou-se em pesquisas que usam comportamento auto-relatado pode levantar questões sobre sua confiabilidade.

E os especialistas dizem, ainda, que o café - adorado por muitos - pode ser bom para todo mundo.

- Consumo regular de café pode ser incluído como parte de uma dieta saudável e balanceada. Algumas populações como grávidas e crianças devem tomar cuidado com o consumo elevado de cafeína proveniente do café e outras bebidas - afirmou Frank Hu, professor de nutrição e epidemiologia em Harvard.

*AFP

Colunistas