nsc

    Esporte

    Coronavírus: Presidente da Fecasurf proíbe prática do esporte em Santa Catarina durante a quarentena

    Dirigente entende que surfistas precisam dar o exemplo neste momento difícil

    31/03/2020 - 11h38 - Atualizada em: 01/04/2020 - 22h52

    Compartilhe

    Janniter
    Por Janniter de Cordes
    Surf está proibido no litoral catarinense durante a quarentena
    Surf está proibido no litoral catarinense durante a quarentena
    (Foto: )

    O presidente da Fecasurf (Federação Catarinense de Surfe), Renato Melo, disse que o surf está proibido no litoral Catarinense durante este período de isolamento social por conta da Covid-19, o novo coronavírus. A ordem foi passada através de um vídeo na segunda-feira (30) e de acordo com o dirigente, os surfistas, sejam eles profissionais ou não, precisam dar o exemplo neste momento.

    De acordo com Renato Melo, é preciso reforçar o decreto do governo do estado e ficar em casa e evitar aglomerações. No vídeo apresentado pela Fecasurf, o presidente pede para que os atletas sirvam de exemplo. “A Fecasurf vem solicitar a todos os atletas a darem o exemplo em solidariedade a todos aqueles que não têm a saúde tão forte e que vem vivendo dias de incertezas”, disse o presidente.

    Ainda no vídeo, Renato deixou claro que o futuro dos surfistas não estará comprometido por alguns dias em casa e aproveitou para passar uma mensagem para os atletas, mas ao mesmo tempo, proibir a prática do esporte em todo litoral catarinense. “Alguns dias sem surfar não vão comprometer o nosso futuro com o surf. Vamos perder um swell nesta vida, mas não vamos perder a vida neste Swell. Portanto, a Fecasurf determina a todos, que o surf está proibido no litoral catarinense”, complementou Renato Melo.

    Sobre este assunto, o ex-surfista profissional catarinense, hoje músico e palestrante, Teco Padaratz, entende a decisão. “Sobre o surfar ou não, eu acredito, sinceramente, que dentro d’água é um lugar seguro para estar. O problema é que quando você vai para água um amigo teu olha e diz, ele está na água então em também posso e vou também e aí vem o outro, vem o outro e rapidamente, pela fissura da galera, todo mundo vai estar na água. Assim, os estacionamentos estarão lotados, as praias estarão lotadas, porque sempre vai o cara para filmar o outro, para cuidar da prancha na areia e aí começam as aglomerações e a gente perde rapidamente o controle. Então eu acredito que temos que ficar em casa e segurar a onda”, pontua Padaratz.

    Ainda no tema sobre o coronavírus, Teco diz que é preciso ter cuidado com as informações, pois a maioria das pessoas não são especialistas no assunto. “Tem muita informação rolando de um lado para o outro. A gente não sabe o que é que funciona o que não funciona. Está muito precoce, muito difícil de entender o que está acontecendo de uma forma mais ampla. O que a gente que fazer é ficar em casa, pois tem cabeças especialistas pensando no assunto, então nós temos que seguir, pois nós não somos entendedores. Isso não é o futebol da seleção brasileira que todo mundo acha que é técnico e tem que dar uma opinião. Não. É a saúde da população e isso é muito mais sério do que dar opinião sobre seleção brasileira”, destaca.

    Para finalizar, Teco citou os memes que circulam nas redes sociais. Na visão dele, muita coisa desesperadora e outras brandas de mais. Então ele pede mais responsabilidade sobre o assunto e que as coisas sejam tratadas de forma mais coerente e responsável.

    Ouça o comunicado do presidente da Fecasurf, Renato Melo

    Ouça a opinião do ex-surfista profissional, Teco Padaratz

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas