nsc

publicidade

Orgulho joinvilense

Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville completa 127 anos de história

Neste dia 13 de julho, o Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville completa 127 anos de história reconhecido pela bravura e responsabilidade social

13/07/2019 - 10h43 - Atualizada em: 13/07/2019 - 11h25

Compartilhe

Luan
Por Luan Martendal
A especialista em resgate em altura, Carmelita, sempre foi apaixonada pela corporação
A especialista em resgate em altura, Carmelita, sempre foi apaixonada pela corporação
(Foto: )

Motivo de orgulho para os joinvilenses, o Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville (CBVJ) completa 127 anos neste 13 de julho, reconhecido por ser exemplo de bravura e responsabilidade social. Instituição pioneira entre as corporações de bombeiros voluntários no Brasil, o CBVJ foi fundado por imigrantes da Colônia Dona Francisca em 1892 e, ao longo de décadas, construiu uma relação de amizade com a comunidade. O feliz aniversário deste sábado é para os bravos soldados do fogo que já pertenceram, ou ainda pertencem, ao quartel.

De acordo com o presidente do Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville, Moacir Thomazi, hoje 1,7 mil homens e mulheres fazem parte da equipe – 90% são voluntários e 10% remunerados –, todos dedicados a um propósito nobre: ajudar a salvar vidas. Juntos, esses bombeiros cumpriram 88.600 horas de serviço voluntário e já atenderam 3,9 mil ocorrências somente em 2019. O tempo médio de resposta é de sete minutos por ocorrência, índice equivalente ao alcançado em diversos países desenvolvidos.

Segundo Thomazi essa forte presença no dia a dia dos cidadãos é o que fortaleceu a relação entre a cidade e os bombeiros ao longo dos anos. Quando criada, sua fundação foi movida pela população, com 37 soldados, e aconteceu menos de três anos depois da Proclamação da República e foi a 2ª instituição voltada ao combate a incêndios instalada no Brasil, posterior apenas à Brigada de Incêndio da Corte Real (já extinta).

— Os bombeiros voluntários de Joinville surgiram do povo. Devido a ausência do Estado na época, a comunidade assumiu essa função e essa ligação permanece até agora. Nossa principal fonte de manutenção vem por meio de doações da população, que se sente sócia do Corpo de Bombeiros Voluntários e sente orgulho da sua corporação. Isso nos enche de alegria — comenta Thomazi.

Exemplos para a sociedade

A conexão com os joinvilenses também ocorre por meio de projetos desenvolvidos pela corporação, como a manutenção dos Bombeiros Mirins. São cerca de 380 crianças e jovens de 10 a 18 anos que são desenvolvidos para ajudar futuramente na corporação e se tornarem bons exemplos na sociedade.

— Temos todas as atas dos bombeiros guardadas, inclusive traduzimos as primeiras que eram inscritas em alemão, e todas confirmam que, em 127 anos de história, não há nenhum único registro de mau feito que tenha sido praticado por algum membro da corporação. Isso mostra nosso compromisso com Joinville — completa.

Para o comandante do CBVJ, Carlos Kelm, além da comunidade ganhar com a atuação dos bombeiros nas ruas, os próprios voluntários se sentem recompensados. Prova disso é que o tempo mínimo de dedicação exigido por mês ao quartel é de 24 horas, no entanto, ao menos 80 bombeiros realizaram de 500 a 1.000 horas voluntárias nas escalas de plantão operacional.

— Existem vários motivos para a pessoa ser um bombeiro voluntário, mas o principal deles é a satisfação pessoal de fazer alguma coisa para ajudar o outro; salvar uma vida; fazer um parto dentro de uma ambulância; enfrentar fogo; enfrentar água; enfrentar altura; seja o que for, isso é o que move a maioria dos que estão aqui — orgulha-se Kelm, bombeiro voluntário desde 1992.

Celebração especial

O aniversário de 127 anos do CBVJ foi celebrado na sexta-feira na unidade com homenagem especial aos bombeiros voluntários que completaram mais anos de serviços prestados e os com mais horas em escalas operacionais em 2018. No ano passado os voluntários prestaram 159 mil horas de serviços em conjunto, 3,3 mil horas feitas pela bombeira voluntária Sandra Regina Trindade, destaque entre os quase 80 certificados com mais de 500 horas em plantão.

Sete bombeiros com mais de 40 anos de serviços prestados, receberam distintivo. Outros 46 colaboradores, com tempo de dedicação entre cinco e 35 anos, foram lembrados.

Cinco pessoas receberam a Machadinha simbólica e o título de Sócio Remido por tempo de contribuição financeira superior a 40 anos, para manutenção da instituição. Houve ainda a entrega da comenda máxima do CBVJ, a Ordem da Machadinha, concedida a um benfeitor ou colaborador com importância reconhecida pela entidade.

PRINCIPAIS HOMENAGEADOS

SÓCIOS REMIDOS

- Elfi Schroeder

- Arci Nass

- Miriam Metzner

- Mario Rubens Büst

- Mirtes Pickler

VOLUNTÁRIOS COM MAIS TEMPO DE ADESÃO

- Romeu Ernesto Dressel: 61 anos

- Flávio Nunes: 57 anos

-Osvaldo Curt Baumrucker: 56 anos

- Levino Zietz: 54 anos

- Edegard Seiler: 52 anos

- Rolf Benno Muller: 51 anos

- Elias Guesser: 41 anos

- Bento Ademir Maliseski: 35 anos

- Salésio Coan Sombrio: 35 anos

ORDEM DA MACHADINHA

2ª Companhia do Batalhão de Aviação da Polícia Militar de Joinville

Deixe seu comentário:

publicidade