nsc

publicidade

Saúde pública

Cresce número de focos do mosquito da dengue em Joinville

Desde janeiro já foram registradas 104 amostras positivas, um aumento de 20% em relação à 2017

13/02/2018 - 07h44

Compartilhe

Por Redação NSC
Maioria dos focos encontrados neste ano no município estava em objetos com água parada no quintal de residências
Maioria dos focos encontrados neste ano no município estava em objetos com água parada no quintal de residências
(Foto: )

Em pouco mais de um mês, o número de focos positivos do mosquito Aedes aegypti, vetor transmissor da dengue, do vírus da zika e das febres chikungunya e amarela, já corresponde a um terço do encontrado em todo o ano passado em Joinville. Já são 104 amostras positivas desde 1º de janeiro até 9 de fevereiro. Nos dois primeiros meses do ano passado, foram registrados 86 casos e, em todo 2017, foram 292 ocorrências.

Sozinhos, os bairros Boa Vista e Fátima, na zona Sul, detêm 59% dos focos positivos mapeados pelo Serviço de Vigilância Ambiental. Até a primeira semana de fevereiro, foram 31 registros no Boa Vista e 20 no Fátima. O resultado preocupa os agentes da Prefeitura, principalmente com relação ao crescimento da infestação no bairro Fátima, na região próxima ao Terminal do Guanabara. Isso porque o volume atual já supera o consolidado de focos achados em 2017, de 17 casos.

Na comparação de janeiro deste ano com o primeiro mês do ano passado, houve um crescimento de 38% nos focos positivos. Foram 57 pontos em 2017, contra 89 no início do 2018. Apenas na primeira semana de fevereiro houve 25 casos, apenas quatro a menos do que no mesmo mês em todo o ano passado. Se analisarmos os dois primeiros meses, o avanço é de 20%.

Com o resultado, Joinville está na lista dos 64 municípios catarinenses considerados infestados pelo inseto, de acordo com o último boletim da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de Santa Catarina ? de 8 de fevereiro. Vale ressaltar, no entanto, que nenhum caso da doença foi notificado no município neste ano. No Estado, no comparativo entre janeiro de 2018 e o mesmo mês de 2017, houve crescimento de 71% no número de focos: 2.073 contra 1.207.

De acordo com Nicoli dos Anjos, coordenadora da Vigilância Ambiental, a explicação para o aumento de focos do Aedes aegypti no município é simples: descuido da população. Segundo ela, no Fátima, por exemplo, em um raio de 300 metros foram observados diversos focos positivos, a maioria deles nos quintais das residências.

— Chama a atenção porque esses focos foram encontrados nas casas a partir de uma armadilha de combate ao mosquito, montada pelos agentes de fiscalização. Nesses locais, foram constatados vasos de planta e pneus com acúmulo de água parada. Isso preocupa porque a infestação ocorre do dia para a noite e essa é a época do ano mais complicada, pois o desenvolvimento das larvas ocorrem de forma muito rápida — explica.

Para o combate aos focos do transmissor, o serviço intensificou as visitas nas áreas de infestação. Nos locais em que são encontrados pontos positivos para o mosquito há limpeza dos recipientes e são repassadas informações aos moradores. Em caso de descumprimento às orientações dos agentes ambientais, o dono do imóvel recebe notificação e pode ser multado.

Ações de conscientização são realizadas diariamente por agentes da Prefeitura de Joinville
Ações de conscientização são realizadas diariamente por agentes da Prefeitura de Joinville
(Foto: )

— O intuito das vistorias não é multar, mas conscientizar a população porque se trata de um problema de saúde pública muito sério para a comunidade — destaca Nicoli.

Para melhorar o combate ao Aedes aegypti, o Serviço de Vigilância destaca ainda a importância de contar com o auxílio da população. Em caso de dúvidas, o morador pode ligar para o telefone 3432-2337, do Serviço de Vigilância Ambiental.

COMO COMBATER O MOSQUITO

A Prefeitura de Joinville elaborou uma lista com dicas para eliminar o mosquito. A orientação principal e também a mais efetiva é a mesma: evitar o acúmulo de água parada.

Dicas de prevenção

- Evite usar pratos nos vasos de plantas; se usar, coloque espuma em volta do pratinho;

- Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

- Mantenha lixeiras tampadas;

- Deixe os tanques utilizados para armazenar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas-d?água, lembrando de vedar inclusive o ?ladrão? com uma tela de proteção;

- Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;

- Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;

- Mantenha ralos fechados e desentupidos;

- Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;

- Retire a água acumulada em lajes;

- Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em vasos sanitários pouco usados e mantenha a tampa sempre fechada;

- Evite acumular entulho, pois podem se tornar criadouros do mosquito;

- Guarde pneus velhos e outros objetos que possam acumular água em locais secos e abrigados da chuvas;

Leia mais

Acesse o NSC Total e fique por dentro do que acontece em SC

Deixe seu comentário:

publicidade