nsc
    dc

    Segurança

    Crimes sexuais contra crianças e adolescentes caem 40% em SC, mas hipótese de subnotificação preocupa

    Delegada que coordena Dpcamis avalia que crimes podem não estar sendo notificados à polícia

    19/05/2020 - 10h11

    Compartilhe

    Clarissa
    Por Clarissa Battistella
    Por Guilherme Simon
    Objetos em uma sala de atendimento na Delegacia de Proteção à Criança ao Adolescente à Mulher e ao Idoso
    Objetos em uma sala de atendimento na Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso, em Florianópolis
    (Foto: )

    Os crimes de abuso e exploração sexuais contra crianças e adolescentes tiveram queda de 39,8% em 2020 em Santa Catarina, segundo dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-SC). De 1º de janeiro até 18 de maio foram registrados 675 crimes de estupro contra menores de idade. No ano passado, nesse mesmo período, foram 1.121 ocorrências.

    O decréscimo no registro desses casos poderia ser um indicador positivo, mas a delegada Patrícia Zimmermann D'Ávila, que coordena as Delegacias de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcamis) no Estado, vê os números com preocupação. Segundo ela, é possível que parte desses crimes não esteja sendo notificado à polícia devido ao período de quarentena por conta do coronavírus.

    — Nós temos acompanhado essas quedas (nos indicadores), e com muita preocupação também. Porque os crimes de violência sexual contra crianças e adolescentes têm um fator muito importante que precisa ser levado em consideração, que é o fato de que muitas vezes o autor é alguém próximo e conhecido da vítima (...) Essa redução nos preocupa porque existe a possibilidade de subnotificação — afirma.

    A delegada Patrícia Zimmermann D'Ávila avalia que só será possível ter uma noção melhor sobre a evolução dos crimes nesse período, se aumentaram ou diminuíram, após o término da quarentena.

    Enquanto isso, ela ressalta que a polícia tem atuado para divulgar os canais de comunicação para denúncias e reforçar orientações. Uma delas é para que as pessoas que têm contato com crianças e adolescentes fiquem atentas a sinais que possam indicar algo estranho.

    — Fica aqui um apelo, para que preste atenção nas crianças da sua vizinhança, do seu condomínio, e se observar alguma coisa que esteja chamando a atenção, que não hesite em chamar a Polícia Civil, porque nós continuamos com as delegacias abertas — diz.

    A delegada Patrícia Zimmermann cita ainda o programa “Proteja uma criança”, da Polícia Civil, que tem uma conta no Instagram onde psicólogas orientam pais e responsáveis para tentar prevenir esses tipos de crimes.

    Canais de denúncia

    Os canais de denúncia ampliados pela Polícia Civil de Santa Catarina no início da pandemia do novo coronavírus também abrangem casos de violência contra menores de idade.

    Além do Disque 100 - canal aberto para qualquer denúncia de crime em território nacional -, e do Disque 181, que recebe denúncias em Santa Catarina, também está disponível um contato por WhatsApp. Nesse caso, mensagens podem ser enviadas a qualquer horário para o (48) 98844-0011.

    Há ainda a opção de registro de boletins de ocorrência pela delegacia virtual, no site da Polícia Civil.

    A Polícia Militar também tem recebido denúncias através do 190, número de emergência da corporação. Além disso, a PM atua ainda na prevenção de crimes contra crianças e adolescentes através do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), que aborda questões demandadas pela comunidade escolar junto com os alunos, professores e pais.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Polícia

    Colunistas