publicidade

Economia
Navegue por

Economia 

Custo de vida em Florianópolis ficou 4,51% mais caro no último ano, calcula Esag  

Só em janeiro deste ano a inflação na capital de Santa Catarina subiu 0,46%

12/02/2019 - 10h45 - Atualizada em: 12/02/2019 - 11h54

Compartilhe

Larissa
Por Larissa Neumann
(Foto: )

Viver em Florianópolis ficou 4,51% mais caro ao longo dos últimos 12 meses (de janeiro do ano passado para janeiro de 2019). Só no mês passado a inflação na capital de Santa Catarina subiu 0,46%. Os números compõem o Índice de Custo de Vida (ICV), calculados mensalmente pelo Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag), da Udesc.

De acordo com o índice, alimentação e transportes são os grupos com maior peso no cálculo, correspondendo a cerca de 40% do índice. Nos dois setores a alta no último mês ficou acima da média. Segundo a Esag, o custo dos alimentos e bebidas teve alta de 1,58%. Já os serviços de transporte encareceram em 0,80%.

Entre o grupo dos alimentos, as frutas foram as que registraram maior aumento no período (7,6%). Mamão (18%), abacaxi (17,5%) e maçã (10,3%) lideram a lista de alta. Já os tubérculos, raízes e legumes ficaram 11,6% mais baratos. Essa média foi puxada para baixo principalmente pelo preço do tomate, que caiu 40% – depois de um aumento de 52% em dezembro.

Entre os outros setores analisados, os serviços de comunicação também subiram acima da média, com alta de 2,28%. Nesse caso, o aumento foi puxado pelos preços de TV por assinatura, que subiram 17,5% em janeiro.

Também registraram alta: habitação (0,88), despesas pessoais (0,88) e educação (0,53). Já os grupos que avaliam itens de vestuário (-1,98), saúde e cuidados pessoais (-1,19), artigos de residência (-0,97) tiveram queda.

Ao todo, o ICV/ Esag pesquisa, mensalmente, 297 produtos e serviços, divididos nos grupos alimentação e bebidas (com mais de 15 subgrupos), habitação, artigos de residência, vestuário, transportes, saúde e cuidados pessoais, despesas pessoais, educação e comunicação.

Índice estadual agora segue metodologia do IBGE

A partir de janeiro deste ano, a Udesc/Esag passou a elaborar o ICV com base na Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) do IBGE, a mesma metodologia usada no cálculo do Índices de Preços ao Consumidor (IPCA). Atualmente, esse índice não contempla nenhum município de Santa Catarina.

No entanto, agora, por usar a mesma metodologia do IPCA, os dados coletados pela Esag poderão ser comparados com o índice nacional. Em janeiro, a média de inflação no país, calculada pelo IBGE por meio do IPCA, fechou em 0,32%.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação