nsc

    De Ponto a Ponto: polícia investiga caso de taxista morto no Norte de SC

    08/03/2019 - 03h37 - Atualizada em: 08/03/2019 - 03h42

    Compartilhe

    Por Redação CBN Diário

    A Polícia Civil investiga o caso do taxista Elias Miguel Simas, de 53 anos, morto em Guaramirim, no Norte catarinense. Ele foi chamado para uma corrida na noite de quarta-feira (6). O corpo foi localizado nesta quinta (7). O carro que o taxista dirigia, encontrado na região central de Guaramirim, teria sido emprestado a Elias. O veículo tinha os bancos com marcas de sangue e o taxímetro arrancado. A Polícia Civil analisa as imagens de videomonitoramento, de uma empresa que fica em frente ao lugar onde o automóvel foi encontrado. Nelas, três pessoas são vistas saindo de dentro do automóvel, mas ainda não é possível afirmar se um deles era o taxista.

    Vai a júri popular Gilmar César de Lima, acusado de matar o professor indígena Xokleng Marcondes Namblá em janeiro de 2018, na cidade de Penha, no Litoral Norte. O julgamento está marcado para acontecer no final do mês de junho, no Fórum de Balneário Piçarras. Marcondes morreu dois dias após ter sido espancado com um pedaço de madeira. O acusado, que teve o mandado de prisão preventiva decretada por homicídio, chegou a ficar foragido. Dez dias após o crime, foi encontrado em uma casa na cidade de Gaspar, no Vale do Itajaí. Ele está preso desde então. A denúncia oferecida pelo Ministério Público (MP) imputou a Gilmar a prática do crime de homicídio qualificado, por motivo fútil, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima. O advogado do réu informou que apenas aguarda o julgamento e que estudará a parte defensiva nos dias que antecedem o júri.

    A prefeitura de Xanxerê encaminhou um projeto de reforma administrativa que prevê a redução dos cargos comissionados em 43%. Os atuais 89 previstos em lei passarão para 51. Segundo a controladoria interna do município, todos devem ser exonerados e recontratados apenas os 51, caso o projeto seja aprovado pela Câmara de Vereadores. Para compensar, serão ampliadas as funções gratificadas de 36 para 89. Mesmo assim, a administração pretende economizar R$ 1 milhão por ano com a medida. Outra medida para economizar será a fusão da secretaria de Agricultura com a de Políticas Ambientais. A reforma também é resultado de uma ação direta de inconstitucionalidade do Ministério Público, pois desde 2006 foram criados cargos que não atendem os pré-requisitos constitucionais. No ano passado, a folha da prefeitura representou 50,2% da receita, que foi de R$ 116 milhões. O município - que não chega a 50 mil habitantes, segundo o último censo do IBGE - conta com 1.057 servidores.

    *Com apoio do Diário Catarinense, do jornal A Notícia, do G1 SC e da NSC TV.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas