nsc
    an

    Sadalla apresenta

    Dia da Saúde Ocular: a importância dos cuidados com a visão 

    O dia 10 de julho celebra o Dia Mundial da Saúde Ocular, data estabelecida para chamar a atenção para os cuidados com a saúde dos olhos e mostrar à população os benefícios das medidas preventivas

    10/07/2020 - 10h54 - Atualizada em: 10/07/2020 - 12h44

    Compartilhe

    Estúdio
    Por Estúdio NSC
    Dia da Saúde Ocular: a importância dos cuidados com a visão
    (Foto: )

    Problemas de visão podem acarretar consequências no dia a dia – como perdas de oportunidades no mercado de trabalho, deficiências na aprendizagem e acidentes –, quando não tratados adequadamente. A prevenção pode fazer a diferença na qualidade de vida das pessoas.

    — Algumas doenças oculares são silenciosas, ou seja, podem ocorrer lentamente sem que a pessoa perceba e prejudicar de forma importante e definitiva a visão. A consulta preventiva anual torna possível o diagnóstico precoce — afirma a Dra. Marcielle A. Ghanem, Oftalmologista do Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem, empresa do Grupo Opty.

    — Durante a consulta realiza-se além da avaliação da visão, o acompanhamento do grau, a medida da pressão intraocular e o exame do fundo de olho. Com isto, é possível diagnosticar precocemente alguma doença ocular e o início do tratamento pode ser decisivo para o melhor resultado visual — comenta a especialista em Cirurgia Refrativa.

    No Brasil, mais de 1,2 milhões de pessoas são cegas. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que em 60% a 80% dos casos a cegueira é resultado de causas previsíveis e/ou que poderiam ser tratadas.

    — Por isso a realização de exames oftalmológicos periódicos é tão importante — reforça.

    Cirurgia Refrativa para a autoestima

    Com os cuidados e os avanços tecnológicos, a oftalmologia pode melhorar a vida das pessoas, um exemplo é o caso da Angelita De Bona, 38 anos que superou um problema de visão e ainda aumentou sua autoestima. Para ela, seu vilão sempre foi o astigmatismo. Aos oito anos de idade, relata que tinha dificuldades de copiar o que a professora escrevia na lousa e na vida adulta também não conseguia ficar sem os óculos no trabalho como supervisora de produção em uma confecção.

    — Na fase da infância sofria de baixa autoestima, pois usar óculos era motivo de risos e chacotas. Na adolescência e juventude, já não riam ou me chateavam com isso, mas essa sensação já estava dentro de mim e eu me achava feia. Os óculos atrapalhavam em vários momentos, como a maquiagem que ficava escondida, o incômodo de lentes sujas, embaçadas, a perda frequente dos óculos, enfim, muito mais, que só quem os usa sabe o quanto ajudam na visão, mas incomodam no dia a dia — explica.

    Por volta dos 20 anos, foi informada por sua oftalmologista, Dra. Marcielle A. Ghanem, sobre a Cirurgia Refrativa que, na época, só era realizada no Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem, há 410 km da sua cidade.

    — Fiz acompanhamento, e, quando o grau estabilizou, aos 29 anos, fui mãe, e adiei os planos — conta. A mudança na qualidade de vida de Angelita somente veio no ano passado, quando finalmente conseguiu realizar a tão sonhada cirurgia.

    Angelita diz que, ao usar óculos a melhora da visão é significativa, após a cirurgia, poder ver “sem ser através de um vidro”, é melhor do que pensava:

    — É maravilhoso, é lindo, até as cores ficam mais nítidas — conta. Completando um ano do procedimento, ela só se arrepende de não o ter realizado antes.

    — Não dói, é uma cirurgia rápida e a recuperação tranquila, seguindo as recomendações do pós-operatório. Costumo dizer que, depois da minha filha, a cirurgia foi a segunda melhor decisão que tomei na vida. Deveria ter feito 10 ou 12 anos antes. Hoje sou muito feliz e satisfeita com o resultado — comemora.

    Para saber mais, acesse o site do Hospital de Olhos Sadalla.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Especiais Publicitários

    Colunistas