nsc
    dc

    Comportamento do consumidor

    Dia dos Namorados em Santa Catarina será em casa para 68,7% dos casais, aponta pesquisa

    Levantamento demonstra impacto direto da pandemia de coronavírus no setor de serviços

    05/06/2020 - 12h55 - Atualizada em: 05/06/2020 - 14h42

    Compartilhe

    Lariane
    Por Lariane Cagnini
    namora
    Vestuário segue na liderança como principal opção de presente
    (Foto: )

    A comemoração do Dia dos Namorados este ano será em casa para 68,7% dos casais em Santa Catarina. O levantamento da Fecomércio SC avalia o comportamento e a intenção de compra em relação à data. Como impacto direto da pandemia do coronavírus no setor de serviços, os passeios, jantares e viagens românticas devem ficar para o ano que vem. 

    A pesquisa foi realizada em sete cidades de Santa Catarina, e ouviu 1.126 pessoas na última quinzena de maio. Nos anos anteriores, o principal destino no Dia dos Namorados eram os restaurantes, que agora apareceram como escolha de apenas 12,2% dos entrevistados. Além dos que irão ficar em casa, 13,7% ainda não decidiram como irão comemorar a data.

    Outra mudança que apareceu na pesquisa, em relação ao ano anterior, é a importância do atendimento na hora da compra ou de utilizar um serviço. O consumidor passou a priorizar o atendimento (25,6%), à frente do preço (23,3%). Mesmo assim, o preço continua sendo fator importante, já que 71% dos entrevistados pretendem realizar pesquisa antes de comprar.

    As pessoas ouvidas em Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Joinville e Lages são a maioria mulheres, 60,3%. Os dados mostram que os catarinenses comprarão principalmente artigos de vestuário (33,2%) e perfume/cosmético (18,4%). O perfil dos entrevistados são jovens pertencentes à classe média, que trabalham com carteira assinada.

    :: Veja dicas de como comemorar o dia dos namorados em Florianópolis durante a quarentena

    Gasto médio

    A expectativa de gasto médio ficou em R$ 218,19, resultado inesperado pela Fecomécio SC por ser 22,2% maior do que o gasto médio prospectado no ano passado, que foi de R$ 178,53. 

    O resultado, frente ao momento atual de retração econômica, é em função do aumento na intenção de gasto das faixas maiores de renda, que compensou a queda das faixas menores. Ao desconsiderar os dados mais discrepantes, tanto maiores quanto menores, a média ficou em R$ 138,47. 

    Entre os consumidores, o comércio de rua (53,8%), os shoppings (23,0%) e a internet (14,5%) serão os principais locais de compra.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Economia

    Colunistas