nsc
dc

Notícia

Diretor afastado do Presídio Regional de Blumenau diz que deixa o cargo de cabeça erguida

Em entrevista ao Santa, Jairo dos Santos fala o que teria motivado o afastamento

02/08/2011 - 17h23

Compartilhe

Por Redação NSC

Jairo Vieira dos Santos foi escolhido para ser diretor do Presídio Regional de Blumenau, no final de 2010, depois de dois anos de trabalho como agente prisional. Ocupou o cargo por oito meses, mas foi afastado nesta terça-feira pelo Departamento de Administração Prisional (Deap). Em entrevista concedida ao Santa, Jairo explica o que, na opinião dele, teria motivado o afastamento.

Jornal de Santa Catarina - O que aconteceu para o senhor ser afastado da direção do presídio?

Jairo dos Santos - Sempre esperei que isso fosse acontecer. Desde que entrei lá, tomei decisões que não agradavam todos. Controlar um presídio com quase 1 mil presos e cinco agentes é complicado. Ontem, o presídio estava cheio de agentes do Deap. Quando pedia, não conseguia um. Agora as coisas vão acontecer. Todo mundo depois que sai vira vilão. Acredito que minha saída tenha motivos pessoais. Mostrar as mazelas do Estado desagrada muitos. Porém, posso afirmar que não fiz nenhum acordo com bandido ou advogado vagabundo enquanto estive na direção. Saio com a cabeça erguida. Sei o quanto me arrisquei lá dentro. Aliás, os agentes do presídio são heróis. Arriscam a vida a todo momento. Tem preso muito perigoso na unidade.

Santa - Com o afastamento da direção, o que fará daqui para frente?

Jairo - O Estado me concedeu férias. Vou dedicar todo o tempo à minha família. Eles foram os mais prejudicados, pois tive de me ausentar muitas vezes de casa. Foram muitos finais de semana longe deles. Quanto ao futuro, vou olhar para frente. Não sei o que Deus reserva, mas acredito que será algo bom.

Colunistas