nsc

publicidade

Segurança

Diretor do Presídio de Blumenau e outros 12 agentes são detidos durante força-tarefa

Ao todo 130 profissionais participam da operação que começou na madrugada desta terça-feira

24/03/2015 - 08h13 - Atualizada em: 24/03/2015 - 10h36

Compartilhe

Por Redação NSC

Uma força-tarefa cumpriu 39 mandados de prisão temporária e 27 de busca e apreensão em dez cidades da região e no Presídio Regional de Blumenau. Entre os detidos estão o diretor do presídio, Elenilton Fernandes, 12 agentes públicos que atuam ou já atuaram na unidade e 26 pessoas entre detentos, familiares de presos e empresários.

::: Obra do Complexo Penitenciário do Médio Vale segue na fase de terraplenagem

::: Túnel é encontrado no Presídio Regional de Blumenau

Batizada como Operação Regalia, a ação começou às 3h desta terça-feira e tem objetivo de combater a corrupção no sistema prisional de Blumenau. A força-tarefa envolve o Ministério Público, a Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), a Polícia Militar, Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) e o Departamento de Administração Prisional (Deap) de Santa Catarina. Ao todo 130 agentes e policiais estão envolvidos na ação.

Resultado de quatro meses de investigação, a força-tarefa passou por dez cidades do Vale do Itajaí: Blumenau, Gaspar, Indaial, Pomerode, Itapema, Balneário Camboriú, Piçarras, Itajaí, Bombinhas e Porto Belo.

- Este é o cumprimento de uma das etapas dessa investigação. Ao longo desses quatro meses conseguimos um conjunto de provas razoável para o Ministério Público oferecer a denúncia - afirma o promotor, Flávio Duarte de Souza, da 7ª Promotoria de Justiça de Blumenau.

Segundo ele, havia uma rede de corrupção dentro da unidade prisional de Blumenau. Presos tinham favorecimento e por meio de pagamento aos agentes eles eram transferidos do regime fechado ao semiaberto. Mantimentos que alimentariam detentos também eram desviados do presídio. Além de alimentos, foram apreendidos documentos, computadores, armas e celulares de detentos e pessoas ligadas a eles.

Com as prisões, o efetivo da unidade de Blumenau - que contava com cerca de 40 agentes prisionais - ficou defasado. O Deap adianta que profissionais que atuam em Indaial e Itajaí vão reforçar o quadro do Presídio Regional de Blumenau. Ainda não se sabe quantos agentes virão a Blumenau. Segundo a assessoria de imprensa, a informação deve ser confirmada ainda nesta terça-feira, após uma reunião com a Secretaria de Justiça e Cidadania.

De acordo com o delegado da Deic, Adriano Bini, o inquérito policial deve ser concluído em 30 dias. No fim da manhã desta terça-feira, a Secretaria de Justiça e Cidadania emitiu uma nota sobre a operação:

"A Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania (SJC) e o Departamento de Administração Prisional (Deap) informam que, na manhã desta terça-feira, 24, foi deflagrada uma operação em conjunto com a Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) e o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) que resultou na prisão de 13 agentes penitenciários que atuam ou atuaram no Presídio Regional de Blumenau, entre outros envolvidos. A SJC e o Deap esclarecem que essa operação é resultado de uma minuciosa investigação iniciada anteriormente e continua em andamento. Maiores informações serão divulgadas oficialmente durante a tarde de hoje".

Deixe seu comentário:

publicidade