nsc
hora_de_sc

Sentença

Dois homens são condenados por homicídio contra turista paulista em Florianópolis

Jadson Andrade, de 30 anos, foi encontrado morto na praia do Moçambique em setembro de 2017

29/01/2019 - 21h55 - Atualizada em: 29/01/2019 - 22h03

Compartilhe

Gabriel
Por Gabriel Lima
Jadson Andrade
Jadson Andrade, 30 anos, foi encontrado morto em setembro de 2017 na Praia do Moçambique, em Florianópolis
(Foto: )

Marcos de Souza Júnior, conhecido como Sorriso, e Thaison Mata Santos foram condenados na noite desta terça-feira (29) pelo Tribunal do Júri da Comarca da Capital. O julgamento terminou às 20h20min e determinou que ambos foram responsáveis pelo homicídio de Jadson Andrade, turista paulista de 30 anos morto a tiros em Florianópolis no mês de setembro de 2017.

Réu confesso do assassinato, Marcos de Souza Júnior foi condenado a 17 anos de reclusão em regime fechado e 16 dias-multa pelos crimes de homicídio duplamente qualificado e por integrar uma organização criminosa. Ele foi absolvido do crime de corrupção de menores.

Já Thaison Mata Santos, que negava participação no crime, deverá cumprir 12 anos de reclusão em regime fechado pelo crime de homicídio duplamente qualificado. Na sentença, foi inocentado dos crimes de organização criminosa e corrupção de menores.

Ambos podem contestar a decisão no Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Porém, durante o recurso eles não têm o direito de recorrer em liberdade, ou seja, continuarão presos. A reportagem ainda não conseguiu contato com a defesa de ambos.

Assassinato por engano

Jadson Andrade foi encontrado morto em 11 de setembro na Praia do Moçambique, no Norte da Ilha. De acordo com a denúncia do Ministério Público (MP), os criminosos acreditaram que a vítima era de uma facção rival, então se aproveitaram da superioridade numérica para agredir o homem de forma violenta — conforme os laudos periciais. Jadson, entretanto, trabalhava como promotor de vendas e, segundo o MP, estava na Capital passando o feriadão da Independência com uma amiga em Canasvieiras.

Conforme as investigações da Polícia Civil, a vítima foi forçada a entrar em um veículo com os criminosos e conduzido até a estrada geral do Moçambique. Após tentar que Jadson admitisse fazer parte de uma facção rival, os homens perceberam que não teriam sucesso e mataram a vítima após alguns tiros. A execução foi gravada pelo grupo no celular e compartilhada nas redes sociais.

Colunistas