nsc
    santa

    SETEMBRO VERMELHO

    Dor no peito, falta de ar, suor frio? Saiba como identificar um infarto e agir de forma eficaz 

    Responsável por um terço das mortes por doenças cardiovasculares, ataques cardíacos tem fatalidade reduzida com atendimento rápido 

    14/09/2020 - 13h56 - Atualizada em: 15/09/2020 - 17h07

    Compartilhe

    Estúdio
    Por Estúdio NSC
    Dor no peito, falta de ar, suor frio? Saiba como identificar um infarto e agir de forma eficaz
    (Foto: )

    Se as doenças cardiovasculares vêm sendo responsáveis, nas últimas décadas, pela maioria das causas de morte tanto no Brasil como em boa parte do mundo, o infarto responde por uma fatia considerável dessa estatística. Em 2018, segundo dados do Cardiômetro, da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), 32% do total de 395,7 mil mortes ocorridas devido a problemas do sistema circulatório foram causadas por ataques cardíacos.

    Um estilo de vida saudável é essencial para diminuir o risco de fazer parte destes números. Mas, diante de um quadro de infarto, cada minuto conta para salvar uma vida.

    — Quanto mais tempo um paciente leva para chegar a um pronto-socorro ou pedir um atendimento de emergência, mais prejuízo para o coração. O risco de morte aumenta e, caso sobreviva, as complicações aumentam conforme essa demora aumenta — salienta o Dr. Julio Cesar Schulz, diretor técnico e executivo do Centro de Cardiologia Cardioprime, em Blumenau. Segundo ele, o ideal é que o paciente esteja sob cuidados médicos em um prazo máximo de seis horas após os primeiros sintomas.

    O infarto ocorre quando o músculo do miocárdio – que forma as paredes do coração – deixa de receber sangue devido ao entupimento de uma artéria. A causa principal deste entupimento é a aterosclerose, doença causada pelo acúmulo de placas de gordura dentro das artérias coronárias. Quando uma dessas placas se rompe, um coágulo é formado, podendo causar a interrupção do fluxo sanguíneo para uma região do coração. Sem oxigênio, as células do coração sofrem necrose – algo que não volta ao normal nem mesmo quando o paciente sobrevive, acarretando limitações para o resto da vida.

    Primeiros sintomas

    Os primeiros sinais de um infarto costumam incluir dor no peito, falta de ar, possíveis desmaios. A dor no peito costuma irradiar até a mandíbula, as costas ou a boca do estômago, e vem acompanhada por suor frio, falta de ar, palidez e uma piora do quadro diante do menor esforço. Às vezes, a sensação pode ser de queimação ou aperto no peito.

    Para ganhar minutos preciosos diante de um infarto, o cardiologista sugere que a pessoa chame logo uma ambulância e fique em repouso, respirando com calma, se possível deitado.

    — Ficar agitado ou nervoso só vai aumentar a pressão e os batimentos cardíacos — alerta Schulz.

    Prevenção

    Para controlar o risco de sofrer um infarto, é preciso seguir a cartilha de uma vida mais saudável. O hábito de fumar, por exemplo, é o principal responsável por infartos na população adulta mais jovem. Já a alimentação saudável, com pouca gordura, sal e açúcar processado, ajuda a evitar a aterosclerose e manter a saúde do sistema circulatório em dia.

    Exercícios físicos e manutenção de um peso adequado são outras tarefas essenciais. Exames periódicos para checar pressão, diabetes e colesterol, complementam a prevenção.

    — Há uma conscientização muito maior hoje em dia. As pessoas estão se cuidando, tratando melhor sua pressão alta, diabetes, colesterol. Também estão fumando menos. Mas ainda há muita gente que precisa mudar de atitude — avalia Schulz.

    Para lidar com o estresse, que tem sido alvo de cada vez mais pesquisas que o relacionam a episódios de infarto, o médico orienta a adoção de algum hobby ou atividade prazerosa após o expediente.

    — Se não é possível mudar o ambiente de trabalho, é excelente fazer algo para desligar. Exercícios físicos ajudam a relaxar e liberam serotonina. Se alimentar e dormir bem também ajudam a deixar o corpo melhor preparado para situações de estresse — enumera o cardiologista.

    ​Médico responsável: Dr Julio Cesar Schulz​

    Cardiologista - CRM/SC 18596 | RQE 10463 e 16900

    ​Acompanhe os conteúdos do canal Setembro Vermelho e aprenda a cuidar da saúde do seu coração

    Momento Cardio Talks

    A CardioPrime oferece também o CardioTalks, um canal no YouTube com informação sobre a saúde do coração. Neles, os especialistas da Cardioprime tratam de aspectos importantes desse tema, sempre de forma simples e objetiva.

    Para ficar por dentro de tudo que o Cardio Talks oferece, se inscreva no canal e ative as notificações para não perder nenhuma novidade. Tem vídeo novo todas as quartas-feiras.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Especiais Publicitários

    Colunistas