nsc

    Entrevista

    Dorival Júnior diz que este é o momento do futebol brasileiro se adequar ao calendário europeu

    Técnico do Athlétco-PR entende que a mudança seria interessante para os clubes no Brasil

    13/05/2020 - 14h12 - Atualizada em: 13/05/2020 - 14h14

    Compartilhe

    Janniter
    Por Janniter de Cordes
    Técnico defende o calendário da Europa no futebol brasileiro
    Técnico defende o calendário da Europa no futebol brasileiro
    (Foto: )

    O futebol vive um momento muito delicado não só no Brasil, mas em todo o mundo. Aqui no país, os clubes tentam achar uma solução para driblar os problemas financeiros e que não são poucos. O técnico do Athlético-PR, Dorival Júnior, foi o convidado do Debate Diário desta quarta-feira (13) e disse que é favorável a mudança do calendário no Brasil para o do futebol europeu. Na visão do treinador, este seria o momento ideal para tentar solucionar alguns problemas que os clubes encontram no país.

    Como ainda não há uma previsão de volta do futebol no Brasil, por conta do coronavírus, muitos clubes estão encontrando dificuldades, principalmente de ordem financeira, e procuram uma maneira para driblar esta dificuldade. De acordo com Dorival Júnior, ter um calendário de acordo com o da Europa seria muito importante. “Seria uma ótima oportunidade para adequar o nosso calendário ao futebol europeu, porque, geralmente, o grande prejuízo quem leva ao longo dos anos e das competições, são os clubes que de repente conseguem a projeção de um grande jogador”, falou Dorival.

    O técnico do Athlético-PR lembrou um fato que aconteceu com ele quando treinava o Santos. “Em 2016, a gente estava brigando pela liderança do brasileiro contra o Flamengo e o Palmeiras, trabalhando pelo Santos, e de repente, no fechamento da janela, nos últimos dois, três dias, nós perdemos o Gabigol, vendido para a Inter de Milão. Era um jogador fundamental, decisivo e que poderia fazer a diferença para o Santos, até pelo fato de ele ter ficado dois meses com a seleção olímpica e mais 45 dias com a seleção que jogou a Copa América Centenária, e em um momento decisivo de agosto para frente onde a gente teria uma chance maior de chegar brigando diretamente com o líder, que era o Palmeiras, que não perdeu ninguém e o Santos não podia contratar. Então, é isso o que acontece com a maioria dos clubes brasileiros, onde eles perdem valores importantes em seus elencos nos momentos decisivos das competições. Isso seria o primeiro passo. Ajustando com o calendário europeu, os clubes brasileiros não teriam mais este problema”, disse o técnico.

    Sobre a paralisação do futebol e os problemas econômicos que os clubes enfrentam, Dorival Júnior demostrou a sua preocupação com os times menores. “A maior preocupação nossa, você pode ter certeza, são os clubes do interior do país. Nós encaminhamos uma carta para a CBF pedindo uma atenção dela e das federações com os clubes do interior, caso contrário, nós mataremos os reveladores de grandes talentos do nosso futebol. O interior do país não pode morrer neste momento. A grande maioria dos clubes estão passando por muitas dificuldades, pois não tem o aporte de valores e neste momento, sem a possibilidade de estarem em campo, sem o retorno das TVs, eu não tenho dúvidas que estão passando por sérias dificuldades”, destacou o profissional que entende que já é uma situação pré-falimentar e que já vinha acontecendo com outros clubes. “Esta é uma situação que vai determinar, infelizmente, o encerramento das atividades de algumas equipes importantes no futebol brasileiro”, finalizou Dorival.

    Ouça o Debate Diário desta quarta-feira

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Esportes

    Colunistas